Em SP, janeiro bate média de chuvas em 72,5%, mas não supera 2010

Estadão

01 Fevereiro 2011 | 15h39

SÃO PAULO – O grande volume de chuva que caiu sobre São Paulo e região metropolitana em janeiro ficou abaixo da quantidade alcançada no mesmo mês de 2010, mas superou em 72,5% a média geral para os meses de janeiro registrados pelo Centro de Gerenciamento de Emergências, de acordo com o relatório mensal divulgado nesta terça-feira, 1º.

Veja também:
Média de chuva em SP considera período de 1961 a 1990

Segundo o levantamento, o volume acumulado médio na capital no mês passado foi de 412,5mm, enquanto a média climatológica esperada é de 239mm. Em 2010, quando houve recorde de precipitação na cidade, choveu 461,3mm – 93% acima da expectativa média para os meses de janeiro.

Esse volume médio é calculado levando-se em conta as observações em todas as subprefeituras. Por conta disso, algumas subprefeituras registraram acumulados ainda mais altos do que a média para a cidade. A subprefeitura de Aricanduva/Formosa teve o maior índice da capital: um volume acumulado de precipitação de 622,2mm, cerca de 160% acima da média climatológica.

O maior acumulado de chuva em São Paulo no mês foi no dia 10, cuja precipitação acumulada média foi de 52,2 mm, o que equivale a 21,8% da média climatológica. Naquele dia, as chuvas começaram no dia 10 e seguiram pela madrugada do dia 11, que registrou 22,3mm de chuva. O segundo evento mais chuvoso foi o do dia 23, quando o volume acumulado médio da cidade foi de 49,5mm, embora em algumas localidades a chuva tenha sido bem mais intensa, como em Aricanduva, onde o acumulado foi de 187,5mm.

Apesar de não ultrapassar a marca do ano passado, a primeira quinzena de janeiro foi muito chuvosa e, até então, seus índices pluviométricos superavam os de 2010 para o mesmo período. Como o previsto, a segunda quinzena foi menos chuvosa do que a primeira, embora grandes precipitações tenham ocorrido, como no dia 23, segundo o CGE.

Mortes. De acordo com levantamento da Defesa Civil Estadual, no mês de janeiro, somente na capital, quatro pessoas morreram em decorrência da chuva. Foram três vítimas no dia 10, quando duas mulheres foram soterradas no Jaçanã, na zona norte, e um homem foi levado pela enxurrada na Avenida 9 Julho, no centro, e morreu afogado; e outra no dia 7, quando o teto do imóvel onde um homem estava desabou.

Por Solange Spigliatti, da Central de Notícias