Chove cada vez mais na cidade, diz Kassab

Estadão

11 Janeiro 2011 | 12h59

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), disse nesta manhã que o excesso de chuvas provocou o caos na cidade. Segundo ele, a Prefeitura está trabalhando “ao máximo” para evitar os transtornos, mas chove “cada vez mais” em São Paulo. “Os piscinões corresponderam à expectativa”, destacou o prefeito. De acordo com ele, se não fosse por estas obras, as consequências seriam maiores.

O Estado contabiliza 13 mortes por conta das chuvas desde a noite desta segunda-feira. Na capital paulista, quatro pessoas morreram. Os rios Pinheiros e Tietê transbordaram.

De acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), entre a noite de segunda-feira e as 7 horas de hoje foram registrados 68,8mm de chuva, o equivalente a 29% para o mês de janeiro.

Desde o início do ano até as 7 horas de hoje, o total de chuvas acumulado na cidade é de 221,2mm, o que equivale a praticamente 93% ao esperado para o mês (239mm). O temporal causou 125 pontos de alagamento – 76 registrados na madrugada e 49 pela manhã.

Tragédias anteriores. Na temporada de chuvas entre dezembro de 2009 e março de 2010, mais de 20 mil pessoas ficaram desabrigadas e 78 morreram em todo o Estado. No Jardim Romano, as ruas permaneceram alagadas por dois meses.


Assista ao vídeo em que Kassab explicava o transtorno das chuvas, em 2010

Na época, o prefeito também atribuiu os deslizamentos e inundações na capital ao “excesso de água”. Em 10 de fevereiro de 2010, uma campanha publicitária da Prefeitura afirmava que “não há cidade que aguente tanto dilúvio.”

Elvis Pereira, do Jornal da Tarde, e estadão.com.br

Mais conteúdo sobre:

Nas ruas