Serviço em aeroportos de São Paulo é precário

Jerusa Rodrigues

15 Julho 2013 | 17h06

Há poucos banheiros e eles estão sempre imundos, reclama leitor.

Reclamação do leitor: Os terminais dos aeroportos de Guarulhos e Congonhas precisam ser avaliados quanto a falta de saneamento dos banheiros. Eles são pouquíssimos e estão constantemente imundos. Sugiro reportagens a respeito de maneira a provocar as autoridades e a empresa concessionária de do Aeroporto Internacional de Guarulhos (GRU) a agir rapidamente para a solução desses problema. Milton Saad Júnior / São Paulo

Resposta: A Assessoria de Imprensa do GRU Airport – Aeroporto Internacional de São Paulo  esclarece que, desde que a concessionária assumiu a gestão do terminal, uma série de melhorias já foram implementadas, entre elas a reforma e ampliação dos banheiros localizados no saguão do “Piso Embarque”, que tiveram sua área triplicada e ganharam modernos equipamentos. A reforma dos banheiros na área restrita também está em andamento, inicialmente no Terminal 2. Por causa do próprio projeto estrutural do aeroporto, em algumas áreas será necessária a construção de novos banheiros, antes da revitalização dos atuais, a fim de evitar impactos aos passageiros e à operação aeroportuária. Quanto ao quesito limpeza, a reclamação foi enviada ao setor responsável para avaliação do caso para a adoção de medidas. A prática adotada no aeroporto prevê higienização constante dos sanitários.

O Aeroporto de Congonhas não respondeu.

Réplica do leitor: Primeiramente acho significativo que a o Aeroporto de Congonhas  não tenha respondido, o que demonstra o péssima qualidade  do serviço prestado. Mas o que precisa ser respondido é que tipo de prevenção e proteção à saúde dos usuários será feito até que se concluam as citadas  obras. O risco de contaminação  nesses banheiros é imenso, cabendo uma reportagem para a tomada rápida de ações da administradora local. Estive no GRU no dia 13/7 e atesto que a sujeira continua.