Número de recall teve alta de 62% no País

Jerusa Rodrigues

15 de janeiro de 2014 | 20h25

A maior incidência continua a ser no setor de veículos, informa governo

Por Jerusa Rodrigues

A Secretaria Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça (Senacon) recebeu, em 2013, 109 campanhas de recall, um recorde, segundo o governo.  Houve um aumento de 62,7% em relação a 2012, em que foram realizados 67 recalls.

As informações fazem parte do Boletim Saúde e Segurança do Consumidor divulgado nesta quarta-feira (15/1) pela Senacon.

De acordo com o boletim, embora a maior incidência continue a ser no setor de veículos (58 casos) e motocicletas (9), a lista de produtos que apresentaram algum defeito tem se diversificado. No ano passado, por exemplo, houve recall de produtos de higiene pessoal, medicamentos, umidificadorde ar, removedor de esmaltes, cadeiras infantis e de plástico.

“A campanha de recall não é apenas um dever legal das empresas, mas também um indicativo de que as relações de pós-venda com o consumidor devem ser pautadas pelo respeito e transparência”, disse a  secretária Nacional do Consumidor, Juliana Pereira.

O Código de Defesa do Consumidor determina que, em situações em que produtos apresentem defeitos –  pondo em risco a saúde e a segurança do consumidor – a empresa deve fazer uma campanha de chamamento ou recall para que o defeito seja corrigido. O procedimento não tem nenhum custo ao consumidor.

leia mais no portal do Estadão.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: