Milhas da TAM

Luciana Magalhães

29 Maio 2013 | 20h50

“Comprei as passagens por um preço e tive de pagar outro”, relata leitor

Por Luciana Magalhães

Reclamação do leitor: Em 17/4 comprei 3  passagens utilizando os pontos Multiplus da TAM de São Paulo para Maceió. Consultei a  página  mais de uma vez e os custos eram de 45 mil  pontos no total,  5 mil por passagem para ir e 10 mil cada para voltar. Não havia informação sobre limite de passagens disponíveis ou validade da promoção. Quando fui pagar, minutos depois, o sistema online da TAM bloqueou a compra e pediu para reiniciar.  Quando o fiz, a passagem de ida passou para 10 mil pontos cada. Comprei assim mesmo, antes que a pontuação aumentasse novamente, pois eu tinha um pouco mais de 60 mil pontos em minha conta. Pedi ressarcimento à TAM, que não me atendeu.  Manoel Sebastião de Araujo Pedrosa / São Paulo

Resposta da empresa: A TAM esclarece que a disponibilidade de oferta das classes promocionais está diretamente relacionada à demanda gerada para cada voo. Como o sistema da TAM é dinâmico, pode haver oscilação nas disponibilidades à medida que passagens são adquiridas e reservas já confirmadas são canceladas. Por isso pode haver disponibilidade na tarifa desejada no início do processo de compra e, antes da finalização da emissão, esta já ter sido adquirida por outro cliente, conforme foi explicado ao sr. Pedrosa em correspondência anterior. No entanto, é importante esclarecer que as tarifas são ofertadas igualmente em todos os canais de venda (site, call center, lojas e agências de viagens) e que o cliente será sempre avisado da pontuação ou do valor a ser cobrado antes de finalizar a emissão.

Réplica do leitor: Questiono os métodos usados pela TAM, desprovidos de transparência e respeito aos seus clientes. O sistema da TAM pode ser manipulado a seu critério. A oferta pode ser manipulada durante a compra, pois não há informação de quantos lugares estão  disponíveis e, no meu caso “coincidentemente” o aumento foi quase no valor total das milhas que eu possuía. O “sistema” da TAM é, no mínimo, suspeito.