Leitora se queixa de erro de leitura em medidor de energia da Enel

Empresa afirma que houve inconsistências no cálculo do mês de julho, mas não teve prejuízos para a cliente

Renata Okumura

27 de novembro de 2021 | 05h00

A leitora Coraci Pereira Malta reclama de erro de leitura em medidor de energia da Enel. Segundo ela, houve um problema no cálculo das contas de julho, que ocasionou um aumento na tarifa de agosto. A cliente questiona o atendimento recebido pela empresa.

Foto: JF Diorio/Estadão

Reclamação da leitora Coraci Pereira Malta: “Meu consumo mensal de energia elétrica é menor do que 200 kWh, média aproximada de 160 kWh, valor em torno de R$ 135,00. Em julho passado, recebi uma fatura de R$ 52,83, que achei muito estranha. Quando tive acesso ao detalhamento da conta, constatei que o valor baixo era resultado de lançamento incorreto da leitura feita pelo funcionário da Enel: registrou 5.601, no lugar de 5.701, que resultou em consumo de 100 kWh a menos. 

Diante do meu histórico de consumo, é evidente que o consumo de julho foi de 168 kWh e não de 68 kWh cobrados na fatura. É óbvio que os 100 kWh, não registrados em julho, foram registrados em agosto, cujo consumo ficou em 281 kWh (R$ 273,89) ao invés de 181 kWh. Esse erro trouxe prejuízo para mim porque houve aumento de tarifa em agosto e, além disso, a tarifa é maior quando o consumo ultrapassa 200 kWh. Na minha estimativa, eu paguei cerca de R$ 50 a mais para a Enel, por conta desse lançamento incorreto feito pelo funcionário da empresa.

Fiz várias reclamações na ouvidoria e sempre recebi respostas negando a existência de problema no lançamento do meu consumo no mês de julho. A última resposta da ouvidoria deixa claro que minha reclamação sequer foi analisada por um ser humano. O robô chamado Flávia afirma: ‘Esclarecemos que após as análises realizadas não encontramos erros ou inconsistências que possam ter resultado no consumo atípico observado’.

Somente um robô pode produzir tal resposta absurda. Meu histórico de consumo mostra que foi cometido erro de leitura em julho, mas a Enel se recusa a admitir.”

Resposta da Enel Distribuição São Paulo: “A companhia informa que entrou em contato com a cliente e esclareceu que no mês de julho uma inconsistência de leitura gerou o consumo menor que o real. Desta forma, o acúmulo do consumo não faturado foi incluído na fatura do mês de agosto.

A distribuidora reforçou que isso não gerou prejuízos para a consumidora, pois no mês de julho o consumo ficou abaixo da faixa mínima do ICMS.”

Envie suas reclamações

Mande uma mensagem para o e-mail spreclama@estadao.com ou por WhatsApp para o número (11) 97069-8639. Nossa reportagem vai apurar a denúncia.

Tudo o que sabemos sobre:

Enelenergiafatura

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.