Leitora reclama de taxa de inatividade cobrada em cartão pré-pago

AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Leitora reclama de taxa de inatividade cobrada em cartão pré-pago

Alelo, administradora do cartão, alegou que informações sobre a taxa se encontram no guia do usuário

Renata Okumura

14 de julho de 2018 | 05h00

Sandra Haddad adquiriu um cartão pré-pago da Moneycard no Banco Bradesco para a sua filha levar aos Estados Unidos. Na volta da viagem, ainda havia R$ 287,86 de saldo, e a cliente foi cobrada com uma taxa de inatividade. Segundo ela, não há nenhuma regra clara sobre a cobrança da taxa nos documentos que acompanham o cartão.

Foto: Pixabay

Reclamação de Sandra Haddad: Em 2015, contratei através do Banco Bradesco um cartão pré-pago da MONEYCARD em dólar. Minha filha foi fazer intercâmbio de 30 dias nos Estados Unidos. Ela utilizou o cartão de junho de 2015 a julho de 2015, e ficou um saldo de R$ 287,86. Seguem abaixo informações fornecidas pelo site e também o folheto informativo. Poderia deixar no cartão o saldo remanescente, mesmo que o cartão vencesse, poderia utilizar em outra ocasião. Conforme informação abaixo, não havia nenhuma informação sobre a cobrança de tarifa sobre inatividade do cartão. Nunca houve nenhum contato ou e-mail sobre essa cobrança.

Resposta da Alelo: A Alelo informa que a tarifa de manutenção está discriminada no guia de uso, recebido pelo usuário em conjunto com o Cartão MoneyCard, e também no site do produto e nos Termos e Condições de Uso do Cartão. Aproveitamos para reforçar que permanecem disponíveis todos os nossos canais de atendimento, para auxiliar nossos clientes e usuários em casos de dúvidas, reclamações e informações sobre nossos serviços e produtos. Telefones e demais informações estão no nosso site www.alelo.com.br.

Envie suas reclamações
Mande uma mensagem para o e-mail spreclama@estadao.com ou por WhatsApp para o número (11) 97069-8639. Nossa reportagem vai apurar a denúncia e apresentar a resposta no blog Seus Direitos, um espaço voltado ao cidadão e ao consumidor.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: