Leitora reclama de reajuste de plano de saúde

Amil afirma que a suspensão do reajuste de planos de saúde determinada pela ANS foi válida entre os meses de setembro e dezembro de 2020

Renata Okumura

09 de março de 2021 | 05h00

Alice Arruda reclama de cobranças que ela considera abusivas no plano de saúde da Amil. Ela solicita o imediato e urgente enquadramento dos reajustes de 2021 e retroativo de 2020 ao limite estipulado pela Agência Nacional de Saúde (ANS).

Foto: Pixabay

Reclamação de Alice Arruda: “Sou segunda titular do plano de saúde da Amil do meu marido Marco. Seu plano teve início em 30 de maio de 2000. E eu ingressei no plano em 16 de julho de 2019. A Amil procedeu em agosto do ano passado e em janeiro deste ano com cobranças indevidas, afrontando a regulamentação da ANS, a qual limitou os reajustes de 2020. Solicito o imediato e urgente enquadramento dos reajustes de 2021 e retroativo de 2020 ao limite estipulado pela ANS, com o estorno dos valores excedentes cobrados e pagos.”

Resposta da Amil: “A empresa afirma que a suspensão do reajuste de planos de saúde determinada pela ANS foi válida entre os meses de setembro e dezembro de 2020. E que o reajuste aplicado ao plano da beneficiária em janeiro seguiu corretamente as normas vigentes.”

Envie suas reclamações
Mande uma mensagem para o e-mail spreclama@estadao.com ou por WhatsApp para o número (11) 97069-8639. Nossa reportagem vai apurar a denúncia e apresentar a resposta no blog Seus Direitos, um espaço voltado ao cidadão e ao consumidor.

Tudo o que sabemos sobre:

queixaSP Reclama

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.