Leitora reclama de falta de água em bairro da zona leste de SP

Sabesp afirma que ocorreram manutenções emergenciais para reparos de equipamentos na rede de distribuição

Renata Okumura

26 de março de 2021 | 05h00

Vanessa Santos relata falta de água na semana passada, em pelo menos dois dias, na Vila Síria, na zona leste da capital paulista. Em uma das ocasiões, foram quase 24 horas sem fornecimento de água por parte da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

Foto: Nilton Fukuda/Estadão

Reclamação de Vanessa Santos: “Já faz duas, três semanas que observo que a Sabesp tem cortado a água por volta das 22h todos os dias em residências da Vila Síria, na zona leste de São Paulo. Até aí, é um horário que não tem tanto problema. No entanto, nesse meio tempo, também tem dias em que não tem água durante o dia. Na semana retrasada, voltou no meio da tarde e teve um dia, que mesmo depois de quase 24 horas, não tinha água.”

Resposta da Sabesp: “A companhia afirma que o bairro da Vila Síria, na zona leste de São Paulo, tem abastecimento regular. Sobre o relato de interrupções, informamos que ocorreram manutenções emergenciais para reparos de equipamentos na rede de distribuição. Em relação ao período noturno, a companhia esclarece que realiza, na região metropolitana, a gestão da demanda noturna, durante todo o ano, de acordo com o consumo de água. É uma medida adotada pelo setor de saneamento e pela Comissão Europeia: quando há menos pessoas consumindo água, reduz-se a pressão nas redes a fim de preservar o meio ambiente e evitar perdas por vazamentos e rompimento de tubulações; quando o uso é retomado, a pressão é reajustada. Imóveis com caixa-d’água com reservação para ao menos 24 horas, como determina o decreto estadual 12.342/78, não sentem a gestão de pressão.”

Envie suas reclamações
Mande uma mensagem para o e-mail spreclama@estadao.com ou por WhatsApp para o número (11) 97069-8639. Nossa reportagem vai apurar a denúncia e apresentar a resposta no blog Seus Direitos, um espaço voltado ao cidadão e ao consumidor.

Tudo o que sabemos sobre:

leitoráguaqueixa

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.