Leitora reclama de cobrança indevida e de serviço não oferecido pela Claro

Operadora afirma que está em contato com a cliente para a finalização do caso

Renata Okumura

04 de dezembro de 2021 | 05h00

A leitora Maria Stella Quadros de Carvalho Silva reclama de cobrança indevida na contratação de um pacote de serviços da operadora Claro. Ela afirma que o pacote foi oferecido pela empresa no valor total de R$ 150,00, mas a fatura veio cobrando R$ 390,84.

Foto: Fábio Motta/AE

Reclamação da leitora Maria Stella Quadros de Carvalho Silva: “Desde a contratação da Claro, em outubro deste ano, para meu novo endereço, tenho passado por uma odisseia de problemas. Na contratação do serviço de internet sem fio, TV e telefone na loja do Shopping VillaLobos, a empresa ofereceu o pacote Ultra 4K pelo valor fechado de R$ 119,99 e R$ 29,99 pelo serviço extra da NET para os canais Telecine. Aceitei a oferta. Nesse momento, também pedi a colocação da fatura em débito automático. Já na instalação do serviço, fui informada pelo funcionário de que não havia contratado a NET e, por isso, não conseguia acessar os canais de filme, mas que bastava contratar pela TV, digitando 000 no controle remoto, para ter acesso ao conteúdo nos dois pontos da casa, inclusive no extra gratuito. Fiz o procedimento na hora.

Em 29 de novembro, recebi e-mail da empresa cobrando o valor de R$ 390,84. Entrei imediatamente em contato com a Claro pelo meu telefone celular para contestar o valor e pedir o retorno do sinal que tinha sido cortado. Fui, então, informada pela gravação de que estava devedora pela falta de pagamento do mês de outubro, ou seja, o débito automático não estava habilitado. Quando fui conferir em meu extrato bancário se não estavam me cobrando em duplicidade, descobri um débito automático de R$ 29,99 pelo serviço de Claro móvel, só que nunca tive pacote de celular pela empresa e muito menos havia contratado. Quando finalmente consegui o contato com a atendente, fiquei sabendo de que estava pagando o valor de R$ 390,84 pelos serviços separadamente e que o Combo Ultra 4K mais Telecine jamais poderia custar R$ 119,99 e R$ 29,99. Também falou que minha reclamação seria analisada em até 62 horas, que nada ela poderia fazer e que ainda deveria ligar para um número para contestar a cobrança do celular.

Fui à loja da operadora no Shopping Iguatemi para tentar resolver o problema, porque o serviço do VillaLobos tinha sido péssimo, uma vez que venderam um pacote com o valor errado, omitindo informações e provocando engano a respeito do produto. A atendente disse que só poderia retirar o Telecine e pedir a contestação do contrato, mas que a alteração e a análise só poderiam ser feitas posteriormente, no prazo de 62 horas. Outra alternativa era ir à loja onde foi realizada a contratação. Isso depois de levar mais de uma hora pelo atendimento. Saí de lá com dois protocolos de contestação e cancelamento do Telecine e com a recomendação de que pagasse a fatura atrasada e a com o valor alto para não ter meu sinal cortado novamente. Paguei as faturas, apesar do absurdo da situação, porque preciso do sinal e do serviço para trabalhar em casa, como muitas pessoas fazem. O pior é estar fidelizada com a Claro por um ano, sob pena de multa contratual.”

Resposta da operadora Claro: “Em atenção à mensagem da sra. Maria Stella Quadros, a Claro informa que está em contato com o cliente para finalização do caso.”

Envie suas reclamações

Mande uma mensagem para o e-mail spreclama@estadao.com ou por WhatsApp para o número (11) 97069-8639. Nossa reportagem vai apurar a denúncia.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.