Leitora critica atraso na entrega de medicamento de alto custo

Secretaria de Estado da Saúde afirma que a paciente retirou o medicamento Golimumabe 50 mg no dia 12 de novembro; a Farmácia de Medicamentos Especializados da Vila Mariana está à disposição para esclarecimentos

Renata Okumura

02 de dezembro de 2019 | 05h00

Mafalda Zago é portadora de artrite rematoide e depende de remédios de alto custo. Ela disse que esteve na Farmácia de Alto Custo da Vila Mariana, na zona sul de São Paulo, mas foi informada de que o remédio estava em falta há alguns meses.

Foto: Pixabay

Reclamação de Mafalda Zago: “Sou portadora de artrite reumatoide com agravamento de movimento principalmente das mãos. Já fiz vários tratamentos, alguns inclusive com medicação de alto custo que o meu convênio não cobria, e retirava normalmente nas Farmácias de Alto Custo. Há alguns meses, estive na Farmácia de Alto Custo da Vila Mariana, onde fui informada que o medicamento solicitado pela minha médica estava em falta há alguns meses. Dei entrada no pedido e aguardei 30 dias para ligar e saber se a medicação já estava disponível. Liguei e não estava”.

Resposta da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo: “A Sra. Mafalda Zago retirou o medicamento Golimumabe 50 mg no dia 12 de novembro. A Farmácia de Medicamentos Especializados da Vila Mariana está à disposição da paciente para orientações e esclarecimentos”.

Resposta do Ministério da Saúde: “A pasta informa que o fornecimento do medicamento Golimumabe 50mg para o Estado de São Paulo está regular. Não houve desabastecimento e cabe ressaltar que a pasta enviou à Secretaria Estadual de Saúde o total de 34.542 unidades do medicamento para o ano de 2019, tendo sido o último envio (9.395 unidades) realizado na primeira quinzena de outubro referente ao quarto trimestre. Vale lembrar que foi enviado todo o quantitativo aprovado para o Estado. O medicamento Golimumabe 50mg faz parte do elenco do Componente Especializado da Assistência Farmacêutica (CEAF), sendo do Ministério da Saúde a responsabilidade pelo financiamento, aquisição e distribuição até os almoxarifados das Secretarias de Saúde dos Estados e do Distrito Federal. A estes cabem toda a logística restante e a dispensação ao paciente”.

Envie suas reclamações
Mande uma mensagem para o e-mail spreclama@estadao.com ou por WhatsApp para o número (11) 97069-8639. Nossa reportagem vai apurar a denúncia e apresentar a resposta no blog Seus Direitos, um espaço voltado ao cidadão e ao consumidor.

Tudo o que sabemos sobre:

queixamedicamento

Tendências: