Leitor reclama do risco de incêndio em ducha da Lorenzetti

Leitor reclama do risco de incêndio em ducha da Lorenzetti

Empresa afirma que falha é entre a conexão elétrica da residência e o produto

Renata Okumura

12 de julho de 2021 | 05h00

O leitor Severino Fernandes de Lima reclama de curto-circuito em ducha da Lorenzetti e risco de incêndio pelo mau funcionamento do produto.

Foto: Lorenzetti

Foto: Lorenzetti

Reclamação de Severino Fernandes de Lima: “Há alguns meses, comprei duas duchas Lorenzetti Top Jet para meus banheiros e uma delas, que mais tem uso, deu curto-circuito e quase causou um incêndio. Entrei em contato com o SAC da Lorenzetti para comunicar a fragilidade do produto na questão da fiação, mas a central de atendimento derruba as ligações, demora para atender e o atendimento é péssimo. Quando fui relatar o ocorrido, o atendente perguntou se eu tinha a nota fiscal e falou da garantia e do período de cobertura. Em momento algum liguei para solicitar garantia, mas sim para comunicar o ocorrido, que pode causar um acidente grave, ainda mais nesta época de frio. Infelizmente, não pude exercer meu direito e dever de comunicar que a fiação utilizada é frágil e não suporta o aquecimento que o produto diz oferecer. Me pergunto o que adianta uma empresa gastar uma fortuna em marketing e propaganda se o pós-venda, o atendimento e a atenção que dispensam aos clientes é um lixo. Minha reclamação visa um pedido de desculpas pela forma como fui tratado.”

Resposta da Lorenzetti: “A Lorenzetti informa que o Sr. Severino Fernandes foi contatado para compreensão do problema relatado. A Lorenzetti analisou fotos enviadas pelo consumidor e detectou que há uma falha entre a conexão elétrica da residência e o produto. Em relação ao atendimento do SAC, a empresa ressalta que oferece pós-venda qualificado, respeitando a todos os clientes e focado na solução das ocorrências de maneira ágil e eficiente.”

Envie suas reclamações
Mande uma mensagem para o e-mail spreclama@estadao.com ou por WhatsApp para o número (11) 97069-8639. Nossa reportagem vai apurar a denúncia.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.