Leitor reclama de defeito em veículo

Nissan do Brasil entrou em contato com o cliente para resolver o caso

Renata Okumura

09 de maio de 2021 | 05h00

Octavio Bonon Neto relata que comprou um carro da marca Nissan em janeiro. Três meses depois, o veículo parou de funcionar. Ele se queixa da demora em receber o carro de volta, já que empresa informou que não tem peça para o conserto na localidade do cliente.

Foto: Freedommail/Pixabay

Reclamação de Octavio Bonon Neto: “Minha esposa comprou um veículo da marca Nissan em janeiro deste ano. No dia 27 de marçõ, o carro parou de funcionar. Moro em São Paulo e o problema ocorreu em uma pequena cidade chamada Boa Esperança (MG). Liguei para o atendimento da Nissan e, como o veículo possui garantia de 3 anos, um guincho foi enviado no dia 29 para levar o veiculo até a concessionária mais próxima de onde eu estava, na cidade de Varginha (MG). Fui informado que era um defeito na bomba de combustível, mas que não tinha peça em estoque. Liguei mais de 10 vezes, mas sem informação de previsão para entrega do carro.”

Resposta da Nissan do Brasil: “Em relação ao caso da Sr. Octavio Bonon Neto, a Nissan do Brasil esclarece que o veículo está reparado, mas, em contato com o cliente, foi dito que ele está em uma cidade com medidas sanitárias restritivas e não consegue ir retirar o veículo. Nem o guincho do Nissan Way Assistance tem permissão para adentrar à cidade. A concessionária e a Nissan estão analisando uma forma de auxiliar o cliente para a entrega do veículo. Esclarecemos que, devido ao avanço da crise de saúde pública enfrentada, foi necessário readequar toda a linha de produção das peças. Assim, é possível que em determinadas regiões, e para alguns modelos, ocorra atraso na entrega dos produtos.”

Envie suas reclamações
Mande uma mensagem para o e-mail spreclama@estadao.com ou por WhatsApp para o número (11) 97069-8639. Nossa reportagem vai apurar a denúncia e apresentar a resposta no blog Seus Direitos, um espaço voltado ao cidadão e ao consumidor.

Tudo o que sabemos sobre:

queixacarroconserto

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.