Leitor questiona reajuste de plano

Luciana Magalhães

26 Setembro 2013 | 16h53

“Até quando a ANS vai ficar dando respostas-padrão?”, questiona leitor

Por Luciana Magalhães

Reclamação do leitor: Recebi um comunicado do meu plano de saúde informando aumento de 14,13%. Isso depois de grandes esforços para não ter de aumentar em 21,35%. Não contentes, ainda informam que o meu plano continua atraente e vantajoso. Atraente para quem? Não concordo, pois não tive reajuste nenhum no meu trabalho. No dia 26/6 reclamei na Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e recebi a resposta de que vai avaliar as informações e responderá em até 7 dias úteis. Mas esse prazo já passou e até hoje não recebi nenhuma resposta! Manoel Marques / São Paulo

Resposta: A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) esclarece que a denúncia está em processo de apuração no  Núcleo da ANS São Paulo. A operadora foi notificada e a ANS aguarda resposta para informar o beneficiário. Na análise da denúncia, é possível constatar que se trata de plano coletivo por adesão ou empresarial. Dessa forma, é preciso verificar o que está estipulado em contrato para o reajuste, uma vez que esse índice é definido entre a pessoa jurídica contratante e a operadora de planos de saúde, não sendo estipulado pela ANS. Com o retorno que a agência aguarda da operadora, será possível identificar se o índice disposto em contrato não foi cumprido, o que caracterizaria o indício de infração.

Réplica do leitor: A resposta da ANS é padrão e esta agência não serve ao contribuinte. Sempre pago a mensalidade em dia,  mas na hora que preciso dos serviços, não sou atendido. Fui obrigado a me associar a um plano de saúde por conta, por causa da  total ineficiência dos serviços públicos de saúde, e, além de pagar os impostos normais, tenho de arcar com mais este custo. Isso é o   resultado de políticas que privilegiam as empresas em  todos os níveis –  saúde, transporte, educação, segurança,  etc.