Leitor afirma que foi cobrado indevidamente por sistema de pagamento automático

Empresa afirma que entrou em contato com o cliente e o valor será reembolsado

Ludimila Honorato

02 de novembro de 2018 | 05h00

Gilvan Nogueira afirma que recebeu uma cobrança indevida da Sem Parar que, passados dois meses, pensava ter sido resolvida. No mês seguinte, no entanto, diz ter recebido uma nova cobrança indevida, de mesmo valor, que não coincidia com o motivo alegado pela empresa.

Serviço do Sem Parar utilizado em estacionamento de shopping. Foto: Filipe Araujo/AE

Reclamação de Gilvan Nogueira: Sou usuário do sistema Sem Parar e, em junho, recebi minha cobrança pelo correio, mas sempre paguei a conta por débito automático, e eles sempre enviam o extrato para conferência por e-mail. Liguei na central de atendimento, e informaram que a cobrança era indevida e estornariam na próxima fatura. Em 19/07, recebi a cobrança por e-mail e não constava o estorno. Liguei para a central de atendimento e disseram que não houve tempo hábil para creditar o valor e que este viria, sem falta, na fatura seguinte. Em 19/08, o extrato contava com o crédito, achei que estava tudo resolvido, mas em setembro recebi um novo extrato em que constava a cobrança inicial. Tentei contato com o Sem Parar pelo telefone, mas a ligação não completava. Dias depois, consegui falar com alguém, que informou que o valor se referia a juros e multa da parcela paga com atraso em 25/08. Informei que seria impossível, pois a fatura é paga por débito automático e, como 25/08 caiu no sábado, na segunda-feira seguinte o valor foi debitado. Mesmo se fosse atraso, a multa é de 2% — pelo valor da fatura, de R$ 192,72, a multa seria de R$ 3,85. A atendente disse que nada poderia ser feito, pedi a cópia da ligação para procurar meus direitos e ela informou que só liberam cópia da gravação judicialmente.

Resposta da Sem Parar: Em resposta ao Sr. Gilvan, entramos em contato por telefone com ele em 02/10, ocasião em que prestamos todos os esclarecimentos. O Sem Parar lamenta o ocorrido e confirma que os valores contestados serão reembolsados.

Envie suas reclamações
Mande uma mensagem para o e-mail spreclama@estadao.com ou por WhatsApp para o número (11) 97069-8639. Nossa reportagem vai apurar a denúncia e apresentar a resposta no blog Seus Direitos, um espaço voltado ao cidadão e ao consumidor.

Tudo o que sabemos sobre:

Sem PararcobrançaSP Reclama

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.