Festas na PUC-SP incomodam vizinhança

Jerusa Rodrigues

10 de dezembro de 2014 | 20h46

Morador do bairro reclama do som alto durante a noite no campus da Universidade; reitoria afirma não patrocinar esses eventos em seus campi

 

Reclamação do leitor: Gostaria que o Estadão denunciasse que a Pontífica Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), localizada na rua Monte Alegre 984, em Perdizes, permite que seus alunos promovam festas semanais em áreas externas de suas dependências, com bandas ao vivo tocando até altas horas da madrugada, com som altíssimo, consumo de drogas e bebidas alcoólicas em excesso, incomodando toda a vizinhança ao redor que trabalha e paga altos impostos para poder ter paz para descansar a noite. Estive apresentando esta reclamação pessoalmente semanas atrás à pró-reitoria de cultura e relações comunitárias da PUC, que disse claramente que a PUC não pode fazer nada para evitar estas festas semanais noturnas de seus alunos, os quais “estão nos seus direitos de aluno em permanecer dentro da universidade, mesmo que de madrugada”. Portanto, são coniventes! Isto é uma vergonha!Por favor me ajudem a denunciar este absurdo de uma universidade que não consegue e não tem interesse em ao menos educar seus alunos com o básico: cidadania e respeito ao próximo. Marcelo F. Cachiello / São Paulo

 

Resposta da Pró-Reitoria de Cultura e Relações Comunitárias da PUC-SP: É preciso esclarecer que a Pontifícia Universidade Católica de São Paulo não patrocina, não incentiva nem concorda com a realização de festas em nenhum de seus campi. A Instituição entende que se trata de uma questão complexa e que ações repressivas não têm eficácia no longo prazo. Como instituição de ensino, nossa missão é adotar a ação educativa e preventiva para mediar a construção e manutenção de uma boa relação entre a comunidade interna e a vizinhança, visando à segurança e ao bem estar de todos. Acreditamos que houve ruído de comunicação na conversa com o vizinho citado no referido pedido. Ele foi ouvido, foram explicadas a ele as medidas adotadas pela Universidade e informado sobre o sucesso de algumas ações. Importante frisar que, em nenhum momento, foi dita a frase atribuída a membros da Pró-Reitoria de que “um representante me disse claramente que a PUC-SP não pode fazer nada para evitar estas festas semanais noturnas de seus alunos, os quais ‘estão nos seus direitos de aluno em permanecer dentro da universidade, mesmo que de madrugada’”. Além de receber e ouvir os vizinhos, a Universidade tem realizado encontros com órgãos públicos responsáveis pela segurança da população, uma vez que a PUC-SP tem sido invadida, após seu horário de fechamento, por pessoas que vêm participar de festas. A PUC-SP tem empreendido grande esforço no sentido de aprofundar o diálogo com todos os Centros Acadêmicos e Atléticas, especialmente aqueles do campus Monte Alegre, sobre a realização de eventos de natureza não acadêmica.
Réplica do leitor: A Pró-Reitoria de Cultura e Relações Comunitárias da PUC-SP, em sua carta-resposta ao Estado de São Paulo tergiversa sobre o problema, mas não oferece solução concreta nem prazo para que o conhecido e notório incômodo causado em suas dependências a centenas de moradores vizinhos da Universidade seja resolvido. A afirmação da PUC de que “é preciso esclarecer que a Pontifícia Universidade Católica de São Paulo não patrocina, não incentiva nem concorda com a realização de festas em nenhum de seus campi” não é procedente e é falsa, uma vez que as festas ocorrem sempre dentro de suas dependências, as quais são passivamente oferecidas aos jovens, sem limite de horário restrição de conduta ou ação punitiva. Logo, a conivência claramente existe e também se conclui que não há interesse por parte da Universidade em mudar isso, é simples assim, infelizmente! Porém eu e os moradores de Perdizes vizinhos à PUC não vamos desistir de lutar por nosso direito básico de sermos respeitados por uma Universidade que deveria no mínimo ensinar aos seus alunos o que significa o verbo respeitar dando exemplo de como praticá-lo e não o contrário. Completo a resposta informando que a PUC promoveu em suas dependências (campus Monte Alegre) mais 2 festas noturnas consecutivas até altas horas da madrugada incomodando toda a vizinhança nos dias 27 e 28 de novembro, o que prova sua total falta de respeito com a comunidade de Perdizes.