Falta o básico na Santa Casa de São Paulo

Luciana Magalhães

11 de junho de 2014 | 21h07

A minha mãe precisa ser operada com urgência e não consegue, reclama leitora.

Por Luciana Magalhães

Reclamação da leitora: Minha mãe, uma senhora de 70 anos, está internada com fratura no fêmur desde o dia 3/6 na Santa Casa de São Paulo, e a equipe médica informa que não pode operá-la por falta do kit básico e que não há previsão de entrega.  Ainda informaram que ela pode ficar internada de 10 a 15 dias,  esperando a chegada desse material. A equipe ainda ressalta que no principal hospital referência de ortopedia da América Latina não tem nem sequer gesso para fazer as imobilizações. No dia 4/3,por falta de  comadre, colocaram fraldas na minha mãe. O que está acontecendo com essa administração? Peço ajuda urgente! Denise Fernandez / São Paulo

Resposta: A Santa Casa de São Paulo informa que a paciente em questão aguarda o agendamento de procedimento. As cirurgias programadas podem ser alteradas, por causa da  grande demanda de pacientes, principalmente de urgência e emergência atendidas pela instituição que, atualmente, atende muito além de sua capacidade.

Réplica da leitora: O problema foi solucionado, mas não como a Santa Casa está dizendo. Na verdade, fiz essa reclamação para vários órgãos de imprensa na mesma data, inconformada com a situação absurda desse hospital e com a falta de tratamento para a minha mãe. Por conta disso, no dia 6/6  minha mãe foi operada e recebeu alta no dia 9/6. Essa instituição me causa indignação mais uma vez, respondendo forma “padrão” e mentirosa ou pior: sem nem sequer o que está acontecendo com os próprios pacientes.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.