Falta de acessibilidade na Estação Imperatriz Leopoldina

Falta de acessibilidade na Estação Imperatriz Leopoldina

Luciana Magalhães

19 de outubro de 2013 | 16h51

“ACPTM está hà 6 meses prometendo reformas”, diz leitora

Por Luciana Magalhães

Entrada da Estação Imperatriz Leopoldina

 

Acesso para a plataforma de embarque/desembarque

Reclamação da leitora: Reclamo da precariedade do atendimento ao usuário da Estação Imperatriz Leopoldina da CPTM. Não há acesso para idosos ou deficientes físicos, pois são dois lances íngremes de escada até às catracas, e mais um lance  até a plataforma de embarque/desembarque. O cadeirante ou deficiente é carregado no colo por algum voluntário. Isso é um absurdo e desrespeito!  O constrangimento é enorme, tanto para o deficiente como aos passageiros. Reclamei anteriormente na coluna e a resposta da CPTM foi que a estação seria reformada. O que fizeram foi apenas instalar o corrimão e só. Cecília Silva Ramos / São Paulo

Resposta:A CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) esclarece que está contratando empresa para realizar a modernização da Estação Imperatriz Leopoldina, na Linha 8-Diamante (Júlio Prestes – Itapevi). As intervenções contemplam a implantação de todos os itens de acessibilidade (elevadores, piso e rota táteis, comunicação em Braille, corrimãos e rampas), além de banheiros públicos comuns e sanitários exclusivos para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. Enquanto as obras não são realizadas, os usuários com necessidades especiais contam com o auxilio dos empregados da estação, que são treinados para atender pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.

Réplica da leitora: É uma resposta padrão, já que a CPTM, há 6 meses, apresentou os mesmos argumentos de que estavam tomando as devidas providências. Porém, não notei nenhuma nenhuma movimentação no local referente à prometida “contratação de empresa” para execução dos serviços necessários. Além disso não há nenhuma data prevista para essa reforma.

 Fotos: Cecília Silva Ramos