Estudante questiona cobrança indevida de instituição de ensino

Laureate International Universities informa que o estudante já foi orientado por telefone sobre as tratativas necessárias para o encerramento desta negociação

Renata Okumura

20 de julho de 2019 | 12h16

Em 2018, Daniel Gomes negociou com o Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU) o pagamento de valores que tinha em aberto com a instituição. Porém, em 2019 recebeu uma notificação da Serasa de que, em 20 dias, seu nome seria incluído na lista de inadimplentes por causa de um valor em aberto com a FMU. Ele afirma que em nenhum momento recebeu aviso da instituição sobre esse outro valor em aberto.

Foto: Pixabay

Reclamação de Daniel Gomes: “Em novembro de 2018, eu negociei o pagamento de todos os valores em aberto que eu tinha com a FMU. Na época, eu pedi para conferir porque não queria receber ‘valores surpresa’ depois e que eu gostaria de quitar tudo. Tive a confirmação do atendente de que não havia valores pendentes e de que quitando a parcela estaria encerrada minha pendência com a instituição. No entanto, recebi neste ano uma notificação do Serasa afirmando a inclusão do meu nome em 20 dias, por causa de um valor aberto no valor de R$ 239 da FMU.”

Resposta da Laureate International Universities: “Em relação aos questionamentos do aluno Daniel Gomes, o estudante já foi orientado por telefone sobre as tratativas necessárias para encerramento desta negociação, que corresponde ao pagamento de um valor ainda pendente, sem acréscimo de juros ou multa, em duas parcelas fixas. O EAD Laureate lamenta eventual transtorno que tenha sido causado e permanece à disposição para o esclarecimento de quaisquer dúvidas adicionais.”

Envie suas reclamações
Mande uma mensagem para o e-mail spreclama@estadao.com ou por WhatsApp para o número (11) 97069-8639. Nossa reportagem vai apurar a denúncia e apresentar a resposta no blog Seus Direitos, um espaço voltado ao cidadão e ao consumidor.

Tudo o que sabemos sobre:

FMUqueixavalor

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: