Decreto vai contra Código de Defesa do Consumidor

Jerusa Rodrigues

09 de junho de 2014 | 20h07

Entidades de Defesa do Consumidor enviam manifesto ao Senado contra a diferenciação de preços para pagamentos feitos com cartão

Por Jerusa Rodrigues

Nesta segunda-feira  (9/6), a Fundação Procon-SP, a Proteste Associação de Consumidores, o Fórum Nacional das Entidades Civis de Defesa do Consumidor, a Associação de Defesa da Cidadania e do Consumidor e o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) enviaram um pedido aos senadores manifestando a contrariedade ao projeto de Decreto Legislativo do Senado nº. 31 de 2013.

Esse projeto torna nula a Resolução nº 34/89 –  do Conselho Nacional de Defesa do Consumidor-  que proíbe ao comerciante estabelecer diferença de preço de venda, quando o pagamento ocorrer por meio de cartão de crédito.

A diferenciação de preços pela utilização de cartão de débito ou cartão de crédito em relação ao pagamento por outros meios (dinheiro ou cheque) é considerada abusiva, por resultar em manifesta vantagem excessiva ao fornecedor.

Trata-se de uma afronta ao artigo 39, V, do Código de Defesa do Consumidor, pois transfere ao consumidor os custos do fornecedor que opta por utilizar esses meios de pagamento.

leia

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: