Dicas para não ser prejudicado com a greve de bancários

Jerusa Rodrigues

20 Setembro 2013 | 15h34

Procon-SP dá dicas de como o consumidor deve agir

Por Jerusa Rodrigues

De acordo com a Fundação Procon-SP, a greve não afasta a obrigação do consumidor de pagar faturas, boletos bancários ou qualquer outra cobrança. Mas a empresa credora  deve oferecer outras formas e locais para que os pagamentos.

Para não ser cobrado de eventuais encargos o  Procon-SP recomenda que o consumidor entre em contato com a empresa e peça outras opções de formas e locais para pagamento, como internet, sede da empresa, casas lotéricas, código de barras, dentre outros.

Outra medida importante é documentar  pedido feito à empresa (enviar e-mail ou anotar o número de protocolo de atendimento, por exemplo), caso ela se recuse a oferecer alternativas.

E, por fim, não adquira pacote de serviços oferecidos por bancos, sem conhecer os detalhes, voltados a facilitar a quitação dos débitos durante a greve.

Qualquer dúvida entre em contato com o Procon pelo site, clicando aqui, ou:

151 (capital).

Pessoalmente: de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h. Sábados, das 7h às 13h, nos postos dos Poupatempo, sujeito a agendamento e distribuição de senha. Telefone: 0800-772-3633.

– Praça do Carmo, S/N, Centro.

Santo Amaro – Rua Amador Bueno, 176/258 – São Paulo – SP (próximo ao Largo Treze de Maio).

Itaquera – Av. do Contorno, S/N, Itaquera (ao lado do metrô).

Nos postos dos Centros de Integração da Cidadania (CIC) Norte, Leste, Oeste, São Luiz e Feitiço da Vila, de segunda a quinta-feira, das 9h às 15h. No CIC Imigrantes o atendimento é às quartas-feiras, das 9h às 15h.

Fax: (11) 3824-0717.

Cartas: Caixa Postal 1151, CEP 01031-970, São Paulo-SP.