Comissão de Farmacologia do Estado ignora cidadão

Jerusa Rodrigues

17 de agosto de 2013 | 10h07

Já liguei para 4 telefones, enviei carta e de nada adiantou, reclama leitor

Por Jerusa Rodrigues

Reclamação do leitor: Mandei este e-mail pela 4.ª vez à Comissão de Farmacologia do Estado. Vocês do Estadão me respondem, mas eles não. A minha pergunta agora é: para quem reclamar? Onde vou? Estou perdido. Ninguém lê a minha reclamação? Para quem devo me dirigir? Liguei  no dia 2/8,  às 9h30  e fui informado de que meus remédios de uso diário (pioglitazona  e  ácido ursodesoxicólico) ainda não haviam chegado. O problem é que os medicamentos já terminaram há várias semanas. Há mais de 3 meses enviei à comissão pelos Correios meu pedido de renovação. Passados mais de 90 dias não tive resposta. Sérgio Bruschini / São Paulo

Resposta: A Comissão de Farmacologia da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo esclarece que a solicitação do sr. Bruschini foi avaliada e, por não constar da receita médica no pedido de renovação, não foi aprovada. Em 6 de agosto, foi enviado um telegrama ao paciente solicitando o documento necessário para evitar, inclusive, a descontinuidade do tratamento. A Comissão se coloca à disposição para demais esclarecimentos.

Réplica do leitor: Esse suposto telegrama não chegou nesse dia. Só no  dia 14/8, quando fui então buscar os medicamentos, mas eles não estavam disponíveis. Já entreguei as receitas, que, evidentemente, eles já tinham (entreguei novamente) e estou em tratamento há mais de 2 anos. E eles se colocam à disposição só que já liguei para 4 números, entre eles o da Ouvidoria e a resposta é de que: “Esse caso não é comigo”. É com quem, então?  O que devo fazer?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.