Ciclovia na Santa Cecília gera polêmica

Luciana Magalhães

21 Setembro 2014 | 11h00

É inacreditável a falta de sensibilidade dos órgãos competentes, diz o leitor

 

Reclamação da leitora: Foi instalada uma ciclovia na Rua Albuquerque Lins, na Santa Cecília, entre a Alameda Barros e a Praça Marechal Deodoro. O problema é que como é a única via de saída do bairro para as zonas leste, oeste e centro, a região ficou com um trânsito absurdo, pois só passa um carro por vez.  Peço que, pelo menos, a CET proíba o estacionamento dos carros do outro lado da rua, o que permitiria que o trânsito diminua, assim como o congestionamento. Jaime Natan Eisig / São Paulo

 

Resposta: A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) esclarece que a ciclovia da Rua Dr. Albuquerque Lins está em fase de implantação. O percurso terá 600 metros de extensão entre a Alameda Barros e a Rua Barra Funda. A previsão é que esta ciclovia seja inaugurada ainda em setembro e  que todos os detalhes do projeto sejam divulgados antecipadamente. Faz parte da política da empresa e da Secretaria Municipal de Transportes a implementação de ciclovias. É uma alternativa que busca a interligação com os modos de transporte existentes, especialmente para percursos mais curtos, além de ser uma forma de contribuir com o meio ambiente por não ser poluente. Todos os setores envolvidos ou interessados tiveram, e têm, espaço para debater, propor e melhorar o trabalho que vem sendo feito. O plano de mobilidade cicloviária da CET, que inclui a bicicleta como um modelo de transporte, está sendo estruturado dentro das normas estabelecidas no Código de Trânsito Brasileiro (CTB). A CET ressalta que, após a ativação de cada trecho de ciclovia, a companhia seguirá acompanhando o seu desempenho, realizando vistorias técnicas para os eventuais ajustes aonde for necessário.

 

Réplica do leitor: A resposta da CET é simplesmente uma propaganda do  programa cicloviário da Prefeitura que, infelizmente, temos de acatar. O que eles não respondem é que o trânsito piorou muito na Rua Dr. Albuquerque Lins. Em nenhum momento vi a CET monitorando o trânsito. Reitero que uma solução simples seria a proibição de estacionar os carros do outro lado da rua, pois isso aumentaria  a fluidez dos veículos e consequentemente diminuiria os engarrafamentos.