Benefício de trabalhador é negado

Jerusa Rodrigues

05 de setembro de 2013 | 20h28

 Perícias do INSS ignoraram a condição real de meu pai, reclama leitor

Por Jerusa Rodrigues

Reclamação de leitor: Gostaria que os médicos do INSS, ditos peritos, explicassem como um cara que joga bola é afastado por problemas no joelho, recebe quase R$ 3 mil e ainda continua a jogar! Nosso digníssimo ex presidente Luiz Inácio Lula da Silva perdeu um dedinho e se aposentou. Agora meu pai, que ganhava mais de R$ 4 mil trabalhando como motorista, pagando o seu INSS em dia, após fazer uma cirurgia na coluna, onde foram colocados 12 parafusos, recebeu a perícia do INSS dizendo, ao contrário do cirurgião, que ele pode trabalhar! E depois de retirar os parafusos e sem receber alta do médico responsável pela cirurgia, uma “perita” do INSS também respondeu que ele já pode trabalhar. Quem eu devo processar? Os dois médicos ou me junto a eles para processar o INSS, que manda eles jogarem o diploma no lixo? Sergio Galdino / São Paulo

Resposta:  O INSS-SP esclarece que, caso o segurado (sr. Luiz Aparecido Bernardes) não concorde com a cessação de seu benefício, ele poderá protocolar um pedido de reconsideração (PR) pelo telefone 135 ou pela internet, no endereço www.previdencia.gov.br. O PR poderá ser solicitado de imediato para o benefício negado ou até 30 dias contados da data da ciência da avaliação médica contrária à existência de incapacidade.

Réplica do leitor: É uma pena que em nosso país as coisas não funcionem plenamente sem o famoso “jeitinho”. A máquina pública está tão corrompida que chego a desacreditar na boa-fé dos profissionais que nela trabalham. Entrei com o PR, mas  não vai ser a primeira vez. O sistema previdenciário está prestes a ir à falência. Aqueles que não deveriam receber o benefício, recebem, e quem precisa realmente dele tem de se humilhar, como se estivesse pedindo um favor!

Tendências: