AES Eletropaulo vai podar árvore, mas acaba queimando objetos de consumidora

Vitor Tavares

02 Dezembro 2016 | 05h00

Por André Cáceres
Andrea Pontes teve prejuízo por causa de um serviço realizado pela AES Eletropaulo, na zona oeste de São Paulo. Ao podar uma árvore, uma equipe da concessionária acabou cortando a fiação da rua. Em consequência disso, a impressora, o interfone e a cafeteira da leitora queimaram. Agora, Andrea tem que esperar mais de um mês para ser ressarcida.

Em nota à reportagem do SP Reclama, a Eletropaulo afirmou que segue o procedimento da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Reclamação do leitor: “No dia 12 de novembro, a Eletropaulo mandou uma equipe por volta das 10h30 para fazer a poda de uma árvore que fica na frente da casa do meu escritório. Além de terem largado todos os galhos na rua, eles cortaram um fio de energia, provocando um pico de eletricidade e queimando minha impressora, minha cafeteira e o interfone. Telefonei na Eletropaulo para reclamar, e eles informaram que precisam de 10 dias úteis para enviar alguém para vistoriar os aparelhos queimados e que, após a análise, eles ainda pedem 30 dias úteis para resolver. É um grande absurdo, pois somos um escritório de arquitetura e interiores, e usamos a impressora diariamente. Não tenho como ficar dois meses sem a impressora.”

Resposta da empresa: “A AES Eletropaulo informa que a responsabilidade pela retirada dos galhos é da subprefeitura da região, que solicitou a poda. Quanto aos danos aos aparelhos danificados, a concessionária esclarece que segue procedimentos determinados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para realizar o ressarcimento.”

Envie suas dúvidas
Mande uma mensagem para o e-mail spreclama@estadao.com ou por WhatsApp para o número (11) 97069-8639. Nossa reportagem vai apurar a denúncia e apresentar a resposta no blog Seus Direitos, um espaço voltado ao cidadão e ao consumidor.

Mais conteúdo sobre:

eletricidadeAES Eletropaulo