Vantagens e desafios das bikes elétricas

Vantagens e desafios das bikes elétricas

Alex Gomes

31 de maio de 2019 | 09h38

Elas já podem ser vistas por toda a cidade e oferecem alívio para muitas pessoas mas também preocupação para outras. Com os mais variados modelos, as bicicletas elétricas deixaram de ser uma curiosidade e já são parte do ambiente urbano, principalmente em ciclovias de grande circulação como as da Faria Lima e Paulista.

E a tendência é termos cada vez mais modelos nas ruas. Conforme dados da Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares), em 2018 a produção nacional aumentou 17% em relação ao ano anterior, com a produção de 779 mil unidades. Para 2019 a estimativa é um aumento de 10%.

Entretanto, se a bike elétrica amplia o conforto e a agilidade, também pode fazer o mesmo em relação a inabilidade ou imprudência. Erros ou ações propositadamente de risco são potencializadas com os motores e dessa forma especialistas e autoridades se debruçam em estudos e debates sobre a segurança no uso dessas bikes, cuja circulação já é submetida a regras mais rigorosas que o de modelos tradicionais.

Quem pedala em uma bicicleta elétrica deve obrigatoriamente utilizar capacete e circular a no máximo 25 quilômetros por hora. O tráfego em ciclovias e ciclofaixas só é permitido em unidades com motor acionado enquanto se pedala, denominadas bicicletas pedelecs ou de pedal assistido. Os modelos em que o motor funciona sem a necessidade de se pedalar são classificados como ciclomotores e são proibidos de usar as ciclovias, além de ter o uso submetido a obtenção de habilitação e emplacamento.

 

Teste de modelo da Startup Vela

A convite da Startup brasileira Vela, especializada na produção e venda de bikes elétricas do tipo pedelec, o blog testou por uma semana um de seus modelos. Refletindo o avanço do mercado, a empresa comemorou em janeiro um aumento de 78% das vendas de suas bicicletas em comparação a 2018.

O teste foi feito no modelo Vela 1 Top Tube, que conta com comodidades como bagageiro, cobre-corrente, faróis dianteiros e traseiros alimentados pela bateria e comando de suas funções por um pequeno controle remoto que se assemelha a um chaveiro.

Assim como praticamente todas as bicicletas elétricas do mercado ela é bem pesada. Com aproximadamente 19 quilos, pode requerer um certo esforço para se pedalar sem o auxílio do motor e para ser erguida em bicicletários com ganchos suspensos.

Facilidades e desafios nas subidas

O apoio do motor, como esperado, se mostra bastante eficiente e faz com que até o mais enferrujado ciclista se sinta um competidor do Tour-de-France. Vias íngremes testadas como a Rua Manuel da Nóbrega no Paraíso ou a rua Major Atanael, conhecida pelos ciclistas como a terrível ladeira do Pacaembu, foram superadas sem dificuldades.

Porém há uma característica que requer atenção: a bicicleta é dotada de uma única marcha, um detalhe de todos os modelos da empresa. Dessa forma, como o motor só é acionado após algumas pedaladas pode ser necessário um grande esforço para mover a bike ao parar no meio de uma ladeira, pois o ciclista não terá a opção de utilizar uma marcha mais leve.

Em tais momentos valem estratégias como parar em posição transversal à rua, o que facilita girar os pedais, ou simplesmente evitar começar a subir e aguardar se perceber que vai topar com um semáforo fechado ou algum obstáculo.

 

Opções de potência

Um dos principais benefícios da Vela que faz falta em muitas concorrentes é a possibilidade de alternar os modos de potência do motor. Um botão localizado na ponta direita do guidão permite ativar dois níveis de auxílio: um reduzido para alcançar 10 km/h e outro mais forte para velocidades de até 25 km/h. Tal flexibilidade é muito útil para lidar com situações como circular entre carros e outras barreiras, na qual um impulso excessivo pode resultar em uma colisão.

 

Praticidade

Apesar de ser muito bem servido pelas bicicletas tradicionais, uma comodidade específica que usufruí com a Vela me fez desejar ter um modelo elétrico no acervo: a praticidade em transportar uma criança.

Nos testes utilizei uma cadeirinha infantil e circulei com meu filho, levando-o pela manhã à escolinha e à tarde para passear. Dessa forma, não sofri o cansaço matinal que acompanha minhas pedaladas cotidianas para escolinha e fiz passeios bem mais longos que os habituais, conseguindo voltar mais rapidamente para casa quando ele se cansava ou surgiram imprevistos, típicas situações que sempre preocupam os pais ciclistas.

Ao facilitar a vida dos mais variados tipos de usuários, principalmente os que tem algumas dificuldades com bicicletas comuns como os que carregam crianças, bicicletas elétricas como a Vela 1 Top Tube demonstram sua principal vantagem para a mobilidade urbana nas cidades: oferecer uma acessibilidade praticamente universal. Com os graves problemas que o excesso de veículos causam a cidade e seus moradores, bikes elétricas podem ser o grande incentivo para muitos paulistanos darem férias aos seus carros ou mesmo um adeus.

Serviço:

Modelo Vela Vela 1 Top Tube.

Preço sugerido: R$ 6.390

Site: https://velabikes.com.br

Tendências: