ONG dá nova vida à bicicletas abandonadas em condomínios

ONG dá nova vida à bicicletas abandonadas em condomínios

Alex Gomes

08 de abril de 2019 | 14h13

É uma cena comum nas garagens dos prédios de São Paulo: dezenas ou mesmo centenas de bicicletas tomando poeira, com peça quebradas, abandonadas pelos moradores há anos ou deixadas para trás por quem já nem mora mais no prédio.

Foto: Natália Lackescki

Para fazer com que tais bikes voltem às ruas, o Instituto Aromeiazero vai até os condomínios, recolhe e repara as bicicletas. A ONG atua também na conscientização dos moradores, fornecendo materiais e consultoria para os administradores sobre a necessidade de identificar e dar destino às bikes sem uso. “Esses cemitérios de bicicletas podem mudar a vida de muita gente. Nenhuma bike é tão ruim que não dê para usar em uma aula”, explica Murilo Casagrande, diretor do instituto.

Foto: Natália Lackescki

Um dos locais no qual o Aromeiazero atuou foi no Condomínio Ravena, em Pinheiros. Após um trabalho conjunto com a administradora, 15 bicicletas foram recolhidas e destinadas para um curso de capacitação onde pessoas de baixa renda reformaram as bikes e ficaram com elas.

O Aromeiazero também recolhe bicicletas infantis e as utiliza para ensinar crianças a pedalar no projeto Rodinha Zero.

 

Serviço:

Instituto Aromeiazero

www.aromeiazero.org.br/

 

+++Confira aqui os outros posts do blog

+++Conheça os grupos de pedal de São Paulo

+++Confira imagens da cidade sob a ótica do ciclista

+++Vídeo rebate críticas às ciclovias de São Paulo