82% dos paulistanos querem mais ciclovias

82% dos paulistanos querem mais ciclovias

Pesquisa feita pelo Ibope em parceria com a Rede Nossa São Paulo aponta aumento do apoio aos espaços de bicicletas nos últimos anos

Alex Gomes

12 de setembro de 2019 | 10h02

A maior parte dos paulistanos apoia a construção de mais ciclovias e ciclofaixas na cidade. É o que revela a pesquisa “Viver em São Paulo – Mobilidade Urbana”, lançada nesta semana e que ouviu 800 pessoas distribuídas em todas as regiões da capital.

 

Feito pelo Ibope por encomenda da rede Nossa São Paulo, o levantamento aponta que 82% dos paulistanos gostariam de ver mais vias para bicicletas. Entre os usuários de automóveis, o número chega a 78%.

A pesquisa também mostra que o número de apoiadores das políticas cicloviárias cresceu nos últimos anos. Em 2016, 68% dos paulistanos queriam ver mais faixas para bikes. No ano seguinte, eram 71%. Já em 2018, o registro foi de 78%.

“É uma clara tendência de apoio ao uso das bicicletas. Isso é um estímulo importante para a continuidade das políticas públicas que incentivem o modal” afirma Jorge Abrahão, coordenador geral da Rede Nossa São Paulo

Redução de velocidades, faixas de ônibus e ampliações de espaços públicos em alta

Além das medidas de estímulo ao uso de bicicletas, a pesquisa também mostra um apoio significativo dos paulistanos a outras políticas públicas de mobilidade adotadas nos últimos anos.

A redução de velocidade, que em 2018 era aprovada por 51% dos entrevistados, passou agora a ser aceita por 56%. “A população percebe que medidas como o aumento de velocidade nas marginais, que geraram mais mortes, são errôneas. Reduzir velocidades é uma tendência no mundo e as pessoas estão tomando mais consciência da importância disso”, completa Abrahão.

Outras ações como a construção e ampliação de corredores e faixas de ônibus recebem apoio de 87%. Já a substituição de vagas de estacionamentos por áreas de uso público – como ampliação de calçadas – tem aprovação de 65% dos paulistano.

A pesquisa foi realizada entre os dias 3 e 19 de agosto com pessoas de 16 anos ou mais. A margem de erro é de 3 pontos percentuais. Outras informações podem ser conferidas no link abaixo. 

Documento

.

 

Tendências: