Chega a SP software para partituras em Braille

Estadão

21 de outubro de 2009 | 21h17

Por Valéria França

Uma boa notícia de inserção social. Chegou a São Paulo um software capaz de transcrever partituras para o código Braille. O sistema operacional foi lançado em julho e começa a ser administrado pela Tom Jobim Escola de Música do Estado de São Paulo, no centro.

“Hoje, são poucas as partituras escritas em Braille”, diz Dolores Tomé, flautista especializada em musicografia para deficiente visuais, que está capacitando os professores da escola. São apenas três dias de curso. “Depois da primeira aula, teve gente que chorou porque conseguiu pela primeira vez tocar uma música que antes não existia em Braille.”

A escola tem apenas seis alunos cegos. O software foi desenvolvido por José Antonio, coordenador do projeto Dosvox, do Núcleo de Computação Eletrônica da Universidade Federal do Rio, com a consultoria de Dolores. O dowload é gratuito e pode ser feito neste site.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: