A solução para as bicicletas em SP?

Estadão

03 de agosto de 2009 | 06h00

A ideia parece perfeita para uma cidade como São Paulo, lugar onde as bicicletas simplesmente não têm vez no trânsito. Trata-se de um microprojetor a laser acoplado na traseira da magrela, que desenha a todo tempo no asfalto uma ciclofaixa com duas linhas vermelhas. Assim, o carro e o ônibus não invadem o espaço da bicicleta, e o ciclista tem mais segurança para pedalar.

Divulgação

O protótipo foi idealizado pelo escritório de design americano Altitude para uma competição cuja intenção era promover o ciclismo – a expectativa é que ele seja comercializado no ano que vem nos Estados Unidos.

Como o Estadão já mostrou, leis não faltam para pensar e inserir o ciclista no trânsito de São Paulo. O difícil é levá-las para a realidade. Segundo o Artigo 201 do Código de Trânsito Brasileiro, o motorista que “deixar de guardar a distância lateral de 1,50 metro ao passar/ultrapassar bicicleta” deve ser multado em R$ 85.

No período de dezembro de 2007 a novembro do ano passado, no entanto, apenas uma pessoa foi autuada na cidade com base nessa resolução, segundo pesquisa da Gerência de Suporte à Fiscalização da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Esse número ínfimo vem a se somar a uma série de falhas nas políticas públicas que deveriam incentivar o uso de bicicletas em São Paulo.

E o que você acha? A Prefeitura deveria investir na construção de ciclovias? Você já viu algum acidente com ciclista? Deixe abaixo o seu comentário, os melhores podem ser publicados aqui no blog.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: