Ex-deputado expulso do PT é preso pela Polícia Federal
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Ex-deputado expulso do PT é preso pela Polícia Federal

Luiz Moura foi detido por desacato a autoridade durante investigação de policiais federais e terá de assinar termo circunstanciado

Bruno Ribeiro e Fabio Leite

06 Julho 2016 | 18h31

O ex-deputado estadual Luiz Moura, expulso do PT em 2014 por suspeitas de ligação com a facção Primeiro Comando da Capital (PCC) foi preso na manhã desta quarta-feira, 6, por policiais federais que buscavam informações sobre outra pessoa em um posto de combustível que ele administra, na zona leste de São Paulo. Ele teria tentado impedir o trabalho dos policiais, e foi detido por desacato a autoridade.

Moura foi levado à carceragem da PF, na Lapa, zona oeste da cidade, onde passou a tarde. Ele terá de assinar um Termo Circunstanciado (TC), documento que é levado diretamente à Justiça.

A PF não deu detalhes da investigação, que teria como alvo outra pessoa. Moura só foi detido por ter insultado os policiais durante a operação.

 

luiz moura robson fernandjes

O ex-deputado Luiz Moura. Foto: Robson Fernandjes/ESTADÃO

O deputado foi flagrado pela Polícia Civil em julho de 2014 em uma reunião entre perueiros. Os policiais foram até o local por suspeitar que o encontro seria entre operadores do sistema de transportes da SPTrans e integrantes da facção criminosa. A divulgação da presença do deputado no encontro fez com que a executiva estadual do PT decidisse primeiro suspendê-lo e, depois, expulsá-lo do partido. Sem legenda, ele não disputou a reeleição naquele ano.

O ex-deputado foi preso em 1991, em Umuarama, no Paraná, após um assalto a mão armada a um supermercado. Condenado a 12 anos de prisão, passou um ano e meio detido, mas depois fugiu. Ele foi eleito deputado após quitar seus débitos com a Justiça.

A reportagem procurou por seu advogado, João de Oliveira, para comentar de prisão de hoje, mas o defensor não foi localizado. A expectativa era que ele fosse liberado ainda nesta quarta, após a assinatura do TC.