As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Em uma semana de Uberpool, 30% das viagens do aplicativo em SP são compartilhadas

Passageiro aceita dividir carro com desconhecidos em troca de viagem mais barata

Bruno Ribeiro e Fabio Leite

06 Maio 2016 | 08h51

Iniciada há uma semana, a categoria do Uber em que o passageiro aceita dividir o carro com estranhos em troca de uma viagem com preço mais barato já responde por 30% das viagens por meio do aplicativo na capital paulista, segundo informação repassada pela empresa.

O Uberpool, como é chamado, dá um porcentual de remuneração maior para o motorista e tem um preço mais em conta para o passageiro. A empresa não revela o total de viagens feitas por dia na cidade, sob a justificativa de ser um dado concorrencial.

uber gabi biló

Carro usando Uber. Foto: Gabriela Biló/Estadão

A opção de dividir o carro com outras pessoas está prevista no projeto de lei que tramita na Câmara Municipal e regulariza o Uber e outros aplicativos. O governo tentou votar o projeto duas vezes, mas a pressão feita por parlamentares ligados a taxistas barraram a votação.

A empresa argumenta que a categoria de carro compartilhado retira mais automóveis da rua, diminuindo trânsito e poluição.

O passageiro que usa Uberpool define um destino e, quando entra no carro, pode ter de fazer parada de até 5 minutos para pegar outra pessoa, que também pediu carro para ir a um destino próximo ao dele. Ou pode entrar em um carro que já tem mais de uma pessoa.

O motorista, por sua vez, fica com 90% do valor da viagem caso a corrida por Uberpool seja feita sem que nenhum outro passageiro entre no carro. Se há o compartilhamento da viagem, o motorista fica com 70% de cada um.

Na categoria mais usada do aplicaitvo, UberX, o motorista fica com apenas 75% da corrida. E na categoria luxo, Uber Black, o motorista leva 80%.

Dada a dificuldade para aprovar o projeto de lei e resguardado por decisões judiciais que atribuem a ele o poder de decidir sobre o tema, o prefeito Fernando Haddad (PT) pretende regulamentar aplicativos de viagem e o compartilhamento de viagens até junho.