Em análise estrangeira, Uber elogia SP e diz que nova regra é ‘inovadora’
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Em análise estrangeira, Uber elogia SP e diz que nova regra é ‘inovadora’

Em texto da equipe de políticas públicas da empresa, decreto é elogiado por estabelecer cobrança por quilômetro rodado

Bruno Ribeiro e Fabio Leite

11 Maio 2016 | 12h13

A equipe de políticas públicas da Uber publicou um texto na plataforma Medium em que elogia o decreto publicado nesta quarta-feira, 11, pela Prefeitura de São Paulo que regulamenta o transporte individual privado de passageiros.

Para a empresa norte-americana, São Paulo “inovou” ao estabelecer uma cobrança de impostos com base nos quilômetros rodados e por permitir que o total de carros oferecidos varie para atender a demanda no horário de pico.

O texto diz que, com a medida, São Paulo “toma a liderança” na regulamentação desse tipo de serviço, possível graças ao avanço da tecnologia, na América Latina. Leia o texto, traduzido do inglês, na íntegra:

“Nos últimos anos, serviços de compartilhamento de viagens como Uber têm sendo acolhidos por legisladores ao redor do mundo. Do México e Austrália à Estônia e Índia, serviços como Uber estão entregando benefícios para passageiros à procura de mais maneiras de circular, motoristas à procura de novas oportunidades econômicas, e cidades procurando gerenciar os congestionamentos e estender o alcance do transporte público. Regras inteligentes podem deixar esses serviços crescerem e ao mesmo tempo garantir segurança e proteger os consumidores.

Estamos animados que nesta semana São Paulo se juntou à lista de lugares a incorporar esta nova opção de mobilidade. O prefeito de São Paulo assinou um decreto que permitirá ao Uber e a serviços parecidos como ele a operar no maior cidade da América Latina. O decreto dá bênção oficial para compartilhamento de viagens como um novo meio de transporte privado, distinto do serviço de táxi.

É importante ressaltar que o projeto de lei autoriza que o número de carros disponíveis e o preço de uma viagem se ajustem em tempo real, assim os serviços podem atender a o crescimento de demanda por viagens nos horários de pico. Em outros lugares ao redor do mundo, temos visto que essa abordagem permite compartilhamento de viagens para desbloquear um vasto mercado novo, inexplorado por táxis, e fornecer serviços em áreas que nunca se beneficiaram com a disponibilidade de táxis tradicionais.

São Paulo também é inovador em sua abordagem para cobrança de tarifas públicas. Em vez de uma taxa fixa, que tem sido a abordagem feita por muitas cidades, serviços como Uber vão pagar uma taxa administrativa com base no número de quilômetros percorridos em uma viagem. Embora esta taxa pode parecer similar a impostos de congestionamento, como adotado em Cingapura, ela não é destinada a atacar o congestionamento nas ruas de São Paulo.

Para um sistema incentivar o uso eficiente de vias, as taxas teriam de ser aplicadas de maneira uniforme em todos os tipos de veículos. O que vai reduzir o congestionamento é colocar mais pessoas em menos carros – o que é uma razão para estarmos tão animados com o potencial de serviços de compartilhamento como o que o UberPOOL oferece. Já hoje 20% das viagens do Uber globalmente são de UberPOOL.

Estamos animados com o caminho que São Paulo escolheu quando a cidade olha para adaptar suas leis para manter o passo conforme novas opções estão sendo criadas pela tecnologia. São Paulo tomou uma posição de liderança na regulamentação de compartilhamento de viagens em toda a América Latina.”

taxistas alex silva

Taxistas depredam carro em protesto contra decreto. Foto: Alex Silva/Estadão