Doria mantém suspensos contratos de R$ 335 mi com empresas da Lava Jato
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Doria mantém suspensos contratos de R$ 335 mi com empresas da Lava Jato

Obras de túnel sob a Avenida Domingos de Moraes e do prolongamento da Radial Leste foram assinados por Kassab, em 2011, e suspensos na gestão Haddad

Fabio Leite

03 Fevereiro 2017 | 14h34

Avenida Sena Madureira, zona sul. Foto: Paulo Liebert/Estadão

Avenida Sena Madureira, zona sul. Foto: Paulo Liebert/Estadão

A gestão João Doria (PSDB) decidiu suspender por mais quatro meses dois contratos milionários de grandes obras viárias de São Paulo que foram assinados em 2011 pelo ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD) com empreiteiras hoje envolvidas no escândalo de corrupção investigado pela Operação Lava Jato.

O primeiro deles, no valor de R$ 117,5 milhões, foi assinado com o consórcio Pontal Leste, formado pelas construtora OAS, EIT e S/A Paulista, para obras de prolongamento da Avenida Radial Leste de Artur Alvim até Guaianazes, na zona leste da capital.

O segundo negócio, no valor de R$ 218,9 milhões, foi fechado com as empresas Queiroz Galvão e Galvão Engenharia para a construção de um túnel sob a Avenida Domingos de Moraes ligando as avenidas Sena Madureira e Ricardo Jafet, na região do Ipiranga, zona sul paulistana.

As construtoras EIT, Galvão Engenharia, OAS e Queiroz Galvão são investigados ou já foram denunciadas e condenadas no âmbito da Lava Jato por pagar propina a agentes públicos e políticos para obtenção de contratos superfaturados na Petrobrás.

A execução dos dois contratos assinados pela gestão Kassab foi suspensa ao longo da administração do ex-prefeito Fernando Haddad (PT). O petista alegava que as obras não eram prioridade da sua gestão e que faltavam recursos para executá-las.

Procurada, a gestão Doria informou, por meio da Secretaria Municipal de Serviços e Obras, que os dois contratos “foram suspensos para ser avaliada a disponibilidade de recursos”.

Mais conteúdo sobre:

prefeitura de spjoão dorialava jato