São Sebastião faz 385 anos resistindo à proposta de verticalização urbana
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

São Sebastião faz 385 anos resistindo à proposta de verticalização urbana

José Tomazela

16 de março de 2021 | 23h25

Cidade com algumas das mais belas praias paulistas, São Sebastião completa 385 anos nesta terça-feira (16) em luta para evitar a deterioração urbana que afeta outros municípios litorâneos, excessivamente verticalizados.
Projeto em tramitação na Câmara de Vereadores muda o atual plano diretor do município e pode liberar a construção de prédios com o dobro de pavimentos do que o permitido atualmente.
Associações de moradores e setores organizados da sociedade civil apontam o risco de serem erguidos espigões na região central e em sete praias.
A mais antiga cidade do litoral norte, com 90 mil habitantes, é a que resistiu de forma mais efetiva à especulação imobiliária. A legislação municipal impede a construção de prédios e valoriza a natureza que cerca suas praias mais badaladas.
Devido ao avanço da pandemia que lota os leitos hospitalares locais, o aniversário não tem comemorações presenciais. O prefeito Felipe Augusto (PSDB) disse que ampliou a estrutura de saúde para enfrentar a doença, inclusive com a abertura do Hospital da Costa Sul, em Boiçucanga.
Ele destacou duas importantes conquistas do município, com as obras de ampliação do Porto de São Sebastião e a duplicação da Rodovia dos Tamoios, principal acesso à cidade. A prefeitura tenta aprovar a construção de uma marina pública.
O prefeito apontou São Sebastião como um dos principais destinos turísticos do Estado, com as praias mais procuradas por banhistas. “Tivemos o cuidado de profissionalizar a equipe da secretaria do turismo e nos tornarmos destino internacional, com a participação em mais de trinta feiras em todo o mundo. O turismo gera empregos e movimenta nossa economia”, afirmou.
CAPITANIA – A colonização de São Sebastião remonta à época das capitanias hereditárias criadas por Portugal, após o Descobrimento, para povoar e garantir a posse da nova terra. O povoado foi elevado à categoria de vila em 16 de março de 1636, tornando-se cidade em 20 de abril de 1875.
A atual estância balneária ainda sofre com a ocupação de morros e áreas sujeitas a isolamentos ou inundações, e com a falta de sistemas de saneamento nessas comunidades. Investimentos recentes, no entanto, elevaram para 94% o percentual de domicílios ligados à rede de esgoto.

Com quase quatro séculos, São Sebastião resiste à verticalização. Foto PMSS/Divulgação.

Tudo o que sabemos sobre:

São Sebastiãolitoralturismopraias

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.