Roteiro turístico conduz visitante a sepulturas históricas em Piracicaba
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Roteiro turístico conduz visitante a sepulturas históricas em Piracicaba

José Tomazela

13 de outubro de 2019 | 10h44

Um roteiro turístico leva os visitantes a um mergulho na história da cidade através dos túmulos e mausoléus de personalidades, em Piracicaba. O circuito, que faz parte do projeto Jornada do Patrimônio Cultural, do governo do Estado, inclui prédios históricos, templos e outras atrações da cidade.
A visita ao Cemitério da Saudade atraiu inusitado interesse das pessoas que se inscreveram para a etapa da jornada realizada no sábado (12), e que prossegue neste domingo (13). São 29 mausoléus, entre eles o do piracicabano Prudente José de Moraes e Barros, primeiro presidente civil do País. Prudente de Moraes, que faleceu em 1902, ganhou um monumental mausoléu em granito, mármore e bronze, em ponto estratégico do cemitério.
As sepulturas do Barão de Resende, político e empresário, e do Barão de Serra Negra, cafeicultor importante, ambos do século 19, também estão no roteiro, assim como de personalidades recentes da história local, como o ex-prefeito e comendador Luciano Guidotti, e o empresário Mário Dedini.
A escultura em bronze de um manto cobrindo uma paleta de pintura destaca o túmulo do renomado pintor Almeida Junior, um dos mais destacados no cenário da arte paulista da segunda metade do século 19. Ele nasceu em Itu em 1850 e faleceu em Piracicaba em 1899.
Há também sepulturas que atraem pelas histórias curiosas que as cercam, como a do ‘menino da chupeta’. O bebê Nelson Machado Sant’Anna morreu em 1921, aos três anos, engasgado com uma chupeta. A família erigiu uma escultura da criança na sepultura, que passou a receber chupetas colocadas pelos visitantes.
O túmulo do fazendeiro João de Almeida Prado é bastante visitado pela crença de que o livro esculpido ao lado da estátua do falecido muda de lugar sem razão aparente. O roteiro inclui ainda sepulturas de religiosos, como o Mausoléu dos Protestantes e a Capela Mortuária dos Frades Capuchinos de Piracicaba.
Outros roteiros da Jornada do Patrimônio, que devem se tornar permanentes, incluem patrimônios históricos e culturais como o Engenho Central, na Rua do Porto; a Colônia Tirolesa, na zona rural; a Rota Negra, com elementos da cultura africana, igrejas e escolas. O projeto é da Secretaria da Cultura do Estado, mas as ações em Piracicaba são realizadas pela prefeitura e Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural, em parceria com outras instituições.

Mausoléu de Prudente de Moraes em cemitério de Piracicaba. Foto Cultura/divulgação.

Tendências: