Restauração preserva história da primeira hidrelétrica do rio Tietê em Salesópolis
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Restauração preserva história da primeira hidrelétrica do rio Tietê em Salesópolis

José Tomazela

12 de novembro de 2021 | 15h06

Uma ampla reforma restituiu as características originais e deu melhores condições de acessibilidade às instalações centenárias que abrigam o Museu da Energia de Salesópolis. O projeto, que acaba de ser concluído, foi uma das iniciativas premiadas pelo Programa de Ação Cultural (Proac) da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, que bancou o restauro.

O museu tem uma característica especial: está instalado em uma das mais antigas hidrelétricas do estado de São Paulo, inaugurada em 1913, e que foi a primeira a usar as águas do rio Tietê para produzir energia. As reformas abrangeram todo o conjunto de edificações que não recebiam melhorias significativas desde a inauguração do museu, em 2000.

De acordo com a coordenadora do museu, Simone Villegas, a recepção e os espaços expositivos foram modernizados, sem perder seus traços originais. “A conservação desses espaços é de extrema relevância na preservação do patrimônio histórico e cultural local”, disse. Segundo ela, a trajetória da usina e suas casas se conectam com as histórias da vida da população da cidade.

As antigas residências usadas pelos funcionários da usina foram adaptadas e transformadas em espaços expositivos e de acolhimento aos visitantes. “São ambientes que têm a função de informar e educar, por meio de exposições, atividades recreativas, teatro e oficinas”, disse.

Restauro preserva Museu da Energia em Salesópolis. Foto Fundação Energia/Divulgação.

O museu é vinculado à Fundação Energia e Saneamento que atua em várias regiões do estado, mantendo ainda museus de energia em São Paulo e Itu. O acervo da fundação inclui 3.500 objetos museológicos, entre peças, móveis e equipamentos, 260 mil documentos fotográficos, 50 mil títulos na biblioteca, além de milhares de documentos técnicos e cartográficos reunidos a partir de meados do século 19.

TRILHAS – Por estar localizado em meio à mata atlântica, o museu oferece opções de trilhas para os visitantes, além de um passeio pelo “caminho da energia”, roteiro que permite conhecer o processo de geração de eletricidade, com visita à casa das máquinas e ao reservatório, que fica a 75 metros de altura. Os visitantes podem apreciar a represa da usina e a Cachoeira dos Freires.

A hidrelétrica de Salesópolis, a primeira construída no percurso do rio Tietê, que nasce no município, foi construída a partir de 1911 pela iniciativa privada. O empreendimento foi uma iniciativa de Ricardo Vilela de seu filho, que precisavam de energia para a fábrica de chapéus que mantinham em Mogi das Cruzes.

Os Vilelas importaram máquinas e equipamentos da Alemanha para instalar a usina. Quando foi inaugurada, a hidrelétrica gerava energia apenas para esse município. Em 1914, a usina passou a atender também Salesópolis e cidades vizinhas. A hidrelétrica foi desativada em 1988 e, no ano de 2000 se transformou em museu.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.