Recuperado após incêndio, prédio histórico do ciclo da cana reabre em Piracicaba
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Recuperado após incêndio, prédio histórico do ciclo da cana reabre em Piracicaba

José Tomazela

13 de julho de 2020 | 09h44

Um dos marcos da indústria canavieira no Estado de São Paulo volta a exibir toda sua imponência, em Piracicaba. Dez meses após ter dois galpões atingidos por um incêndio, o Engenho Central passou por um projeto de restauração e foi reaberto neste fim de semana. Com isso, todo o parque com remanescentes de um dos primeiros grandes engenhos de cana-de-açúcar do estado, fundado em 1881, volta a ser utilizado como espaço cultural.
As obras de recuperação incluíram troca de telhados, janelas e forros, além de portas e divisórias. A fiação elétrica foi substituída e a hidráulica, refeita. Um trabalho especial de reparo eliminou as marcas do fogo nas paredes seculares de tijolos à vista. Os galpões restaurados abrigarão a sala de administração do parque – um dos principais destinos turísticos da cidade – e o Centro de Documentação, Cultura e Política Negra.
O incêndio, em meados de setembro do ano passado, atingiu o piso superior dos galpões 9 e 10 do Engenho Central. O alarme foi acionado e a rápida mobilização do Corpo de Bombeiros evitou danos maiores ao patrimônio. A perícia apontou um curto circuito no cabeamento elétrico como causa das chamas.
O conjunto de edificações do Engenho Central de Piracicaba é tombado pelo Condephaat, órgão de defesa do patrimônio estadual, e está em processo de tombamento como patrimônio nacional. O engenho foi projetado no período final do século 19, quando o fim do emprego da mão de obra escrava levou a um processo de modernização da indústria canavieira paulista e nacional.
O empresário Estevão Ribeiro de Souza Rezende, um dos sócios da empresa, cedeu o terreno para a construção na antiga Fazenda São Pedro, às margens do Rio Piracicaba. Em maio de 1881, o imperador D. Pedro II autorizou o funcionamento do engenho. Em 1886, a família imperial, incluindo a Princesa Isabel, visitou o então moderno Engenho Central.

Galpões do Engenho Central foram restaurados. Foto Divulgação PM Piracicaba.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.