Projeto integra restauração e sustentabilidade na histórica Vila de Paranapiacaba
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Projeto integra restauração e sustentabilidade na histórica Vila de Paranapiacaba

José Tomazela

27 de abril de 2021 | 18h06

A Vila de Paranapiacaba, no município de Santo André, importante marco da história ferroviária do país, será contemplada com um projeto inédito de restauração aliada à sustentabilidade econômica. A empresa cultural Brasil Restauro está produzindo os estudos técnicos para a recuperação da plataforma de embarque e desembarque do Pátio Ferroviário, patrimônio histórico construído há mais de um século pela companhia inglesa São Paulo Railway e tombado nas esferas municipal, estadual e federal.
A empresa coordena também um estudo sobre o potencial da região para a economia criativa, conjunto de atividades ligadas à história, cultura, turismo, culinária e preservação da natureza que podem ser desenvolvidas pelos moradores como forma de obtenção de renda. O plano é juntar nesses projetos a comunidade, o poder público e os agentes culturais envolvidos com o patrimônio.
O projeto de restauro fica pronto em julho próximo. Os projetos no valor de R$ 445 mil serão patrocinadas pela MRS Logística, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, com apoio da prefeitura e dos órgãos de defesa do patrimônio histórico. O projeto será conduzido pela arquiteta Fabiula Domingues, da Brasil, que trabalhou anteriormente no restauro da Estação Campo Grande, também em Paranapiacaba.
A MRS já patrocinou outras restaurações de patrimônio histórico. “Nossa preocupação tem sido encontrar destinações adequadas para os espaços restaurados. Formas de congregar o poder público local, as comunidades e entidades como a ABPF (Associação Brasileira de Preservação Ferroviária) para a criação de projetos sustentáveis, que gerem renda e trabalho usando o patrimônio recuperado”, disse o gerente de relações institucionais da MRS em São Paulo, José Roberto Lourenço.
Segundo ele, o estudo em andamento é essencial para que se encontre uma vocação para o pátio ferroviário. “Há vários exemplos de outras cidades no mundo que foram bem sucedidas em ações assim e esse é o primeiro passo para atrair empresas privadas para iniciativas como essa”, disse.
ENTREVISTAS – O estudo sobre o potencial da região para a economia criativa será realizado com apoio de uma empresa especializada, a Garimpo de Soluções, que vai entrevistar moradores, especialistas em patrimônio e pesquisadores da história da vila. Estão planejadas palestras com esses agentes para envolver a comunidade no projeto.
Já a equipe de restauro vai coletar informações, preparar plantas, desenhos e cálculos para levantar as características originais do local. O projeto inclui o paisagismo do entorno do pátio ferroviário e uma pesquisa fotográfica das edificações, seus ornamentos e estruturas. Com área total de 3,4 mil m2, o Pátio Ferroviário faz parte do patrimônio histórico e ambiental da Vila, tombado em 2002 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).
Localizado na parte alta da Vila de Paranapiacaba, o núcleo urbano foi implantado em frente à antiga estação ferroviária Alto da Serra, com características urbanísticas oriundas da tradição luso-brasileira. A parte baixa da vila está associada ao emprego de material e técnica construtiva adotadas pelos ingleses da São Paulo Railway, que controlavam a ferrovia e construíram a vila em fins do século 19.
Paranapiacaba é cenário de várias histórias de seus moradores, como Charles Miller, considerado o ‘pai’ do futebol brasileiro. O primeiro jogo de futebol do país foi realizado no local, com a presença de Miller, que trouxe da Inglaterra bolas, chuteiras e um livro com as regras do futebol por volta de 1894.

Vila de Paranapiacaba ganha novo projeto de restauro. Foto Leo Giantomasi.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.