Primeira tecelagem paulista a vapor era inaugurada há 150 anos em Itu
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Primeira tecelagem paulista a vapor era inaugurada há 150 anos em Itu

José Tomazela

02 de dezembro de 2019 | 09h23

Marco da industrialização no Estado de São Paulo, a Fábrica de Tecidos São Luiz completa 150 anos e terá o prédio aberto aos visitantes durante todo este mês, em Itu. A São Luiz é considerada a primeira indústria de tecidos a vapor do Estado. Os teares da tecelagem foram ligados pela primeira vez em dezembro de 1869 e a produção funcionou de forma ininterrupta até 1982.
A fábrica começou pequena, com 24 teares e mil fusos, produzindo algodão do tipo grosso para a confecção de roupas usadas pelos escravos e a sacaria para ensacar o açúcar a ser exportado pelo Porto de Santos.
A tecelagem foi construída por um grupo de investidores locais. O prédio, no centro histórico da cidade, ocupa mais de um quarteirão e foi tombado pelos órgãos do patrimônio histórico estadual e nacional. A fábrica também ganhou fama por ter sido uma das primeiras indústrias de São Paulo a admitir mulheres.
Além da arquitetura da época, as máquinas de confecção ainda estão no local e atraem os visitantes. A caldeira original, trazida da Inglaterra em 1866, três anos antes da inauguração, é uma das atrações. A peça chegou ao país de navio e levou um mês para ser descarregada em Itu – uma parte do trajeto foi feita com carros de bois. Algumas famílias cederam mão de obra para a tecelagem durante três gerações.
A construção aconteceu em três períodos. A parte mais antiga fica ao lado da Igreja do Bom Jesus. A segunda, que também foi a maior, inclui o prédio com arcos. A última parte seguiu o estilo das fábricas inglesas, com tijolos à vista.
A indústria histórica influenciou os costumes locais. As pessoas acordavam com o apito da fábrica e também tinham o sinal sonoro como referência para o horário do almoço. A tecelagem chegou a produzir anualmente 640 mil metros de brim, algodãozinho, toalhas de algodão e fazendas finas. A crise no setor têxtil nacional na década de 1980 atingiu a unidade, que encerrou a produção em 1982.
A Fábrica de Tecidos São Luiz pode ser visitada de segunda a sexta-feira, das 9 às 19 horas, e aos sábados, das 9 às 17. A entrada é gratuita.

Fábrica São Luiz, de Itu, uma história de 150 anos. Foto Prefeitura de Itu/Divulgação.

Tendências: