Presidente Epitácio recupera estação histórica da EFS destruída por incêndio
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Presidente Epitácio recupera estação histórica da EFS destruída por incêndio

José Tomazela

27 de julho de 2020 | 10h28

A histórica estação ferroviária de Presidente Epitácio, destruída por um incêndio em agosto de 2019, ganhou obras de restauração. A prefeita Cássia Furlan (PRB) assinou ordem de serviço no valor de R$ 459 mil para a recuperação do prédio. A empresa vencedora da licitação deu início às obras na última quinta-feira (23) e deve entregar o prédio restaurado no prazo de oito meses. A estação completa 100 anos em 2022.
A cidade é estância turística e as obras estão sendo realizadas com recursos do Departamento de Apoio ao Desenvolvimento do Turismo (Dadetur) do governo estadual.
Depois de pronto o restauro, o prédio vai abrigar a Secretaria de Turismo e Cultura do município, o ateliê cultural e o acervo histórico municipal. “Após o episódio em que a estação foi tomada pelo fogo, ter a oportunidade de revitalizar um espaço que já foi cenário de uma época tão importante em nosso município é gratificante”, disse a prefeita.
A estação é considerada um marco importante da história ferroviária em São Paulo por ter sido o ponto final da Estrada de Ferro Sorocabana (EFS). Os trens partiam da Estação Júlio Prestes, no centro da capital, e retornavam após chegar a Presidente Epitácio, no extremo oeste, divisa com Mato Grosso do Sul.
A cidade deve seu nome à presença do então presidente da República Epitácio Pessoa na comemoração da chegada dos trilhos à cidade, em agosto de 1921. Até então, a localidade se denominava Porto Tibiriçá. A estação, em obras, foi inaugurada no ano seguinte.

Estação histórica foi destruída por incêndio. Foto PM Presidente Epitácio/Divulgação.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: