Obra em rodovia revela novos fósseis de dinossauros na região de Marília
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Obra em rodovia revela novos fósseis de dinossauros na região de Marília

José Tomazela

03 de outubro de 2021 | 09h52

Novos fósseis de dinossauro foram encontrados nas obras de duplicação de uma rodovia na região de Marília. Os achados aconteceram na rodovia Rachid Rayes (SP-333), próximo da cidade de Marília. Junto com um osso maior, provavelmente do fêmur ou do membro dianteiro de um titanossauro, foram achados fragmentos de outras partes do esqueleto do animal pré-histórico.

Esse foi o segundo achado arqueológico na mesma rodovia. Conforme o paleontólogo Willian Nava, do Museu Paleontológico de Marília, esses grandes animais habitaram a região no período Cretáceo, há 65 milhões de ano. Ele acredita que novos fósseis serão encontrados, pois a rodovia está sobre um ‘cemitério de dinos’.

O fóssil maior foi encontrado no último dia 24, a cinco metros de profundidade, durante a escavação de um barranco, às margens da pista, na altura do km 341. A rodovia recebe obras de duplicação previstas no programa de concessões rodoviárias do governo estadual.

Assim que o material foi observado em meio às rochas, os técnicos de engenharia e meio ambiente da concessionária Entrevias, responsável pela obra, foram acionados para resgatar o pedaço de osso fossilizado. O trabalho foi acompanhado por uma geóloga.

Como o fóssil se desprendeu facilmente do talude, colado a um bloco de arenito, a paleontóloga Domingas Maria da Conceição usou apenas um martelo e uma talhadeira para diminuir o tamanho do bloco. O osso foi levado para o museu de Marília. Seis dias depois do achado, Nava foi ao local e realizou prospecções, encontrando novos fósseis que podem pertencer ao mesmo dinossauro.

Segundo ele, são fragmentos de costelas e lascas de outros ossos, dando a ideia de que o provável titanossauro morreu no local e teve a ossada enterrada pelas camadas de arenito. Esses dinossauros eram herbívoros e se caracterizavam pelo pescoço e cauda longos, chegando a medir até 25 m de comprimento.

Em maio deste ano, em outro local de obras da mesma rodovia, foi encontrado um fêmur de outro titanossauro, o que, segundo Nava, apenas confirma que a região pode ter se transformado em um cemitério desses grandes animais pré-históricos.

Em 2009, no km 303 da rodovia, foram encontrados fósseis compondo 70% do esqueleto de outro titanossauro. Foi o fóssil mais completo já achado no Brasil, com cerca de 50 peças, que estão em estudo na Universidade de Brasília (UnB).

PARQUE – A profusão de achados de fósseis já levou pesquisadores e paleontólogos a considerarem o interior de São Paulo o “parque dos dinossauros” do Brasil. Os achados mais antigos remontam à década de 1950, quando foram encontrados fósseis de grandes dinossauros em Presidente Prudente e Adamantina.

As descobertas seguintes, incluindo o fóssil de um terópodo, dinossauro carnívoro, aconteceram em Presidente Prudente, São José do Rio Preto e Monte Alto. Já a partir do ano de 2000, houve achados de fósseis atribuídos a dinossauros carnívoros e herbívoros em Marília, Ibirá, Uchoa e Araraquara.

Um importante sítio paleontológico também foi descoberto em Presidente Prudente, com ossinhos e ninhadas de ovos, provavelmente de aves que conviveram com os dinossauros. Em Araraquara, pegadas de animais menores que viveram na “era dos dinossauros” ficaram impressas em lajotas de arenito usadas para fazer os calçadões da cidade.

Fóssil de dinossauro é resgatado em obra de rodovia na região de Marília. Foto Entrevias/Divulgação.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.