Nove projetos disputam restauro da estação de Mairinque
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Nove projetos disputam restauro da estação de Mairinque

José Tomazela

06 de novembro de 2014 | 17h31

 

     Nove projetos estão disputando a restauração da Estação Ferroviária de Mairinque, o primeiro edifício em concreto armado do País, construído em 1906. As propostas atendem a edital lançado pela Secretaria da Cultura do Estado para recuperação do patrimônio estadual tombado, através do Programa de Ação Cultural (ProAc). Os projetos finalistas serão divulgados até o final deste mês e o vencedor receberá um prêmio de R$ 400 mil.

    Além da restauração do prédio, com pavimento térreo de 350 m2, pavimento superior de 77 m2 e área de cobertura de 525 m2, incluindo duas torres, o projeto abrange a recuperação da área total da plataforma de parada de trens. Após a escolha do projeto vencedor, a pasta estadual definirá a forma de realização das obras, que podem ser realizadas através de parcerias com outros órgãos públicos ou com recursos obtidos por meio de leis de incentivo à cultura.

    A estação de Mairinque foi tombada em 1986 pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado (Condephaat). Por incorporar novas concepções arquitetônicas, o projeto do prédio é considerado precursor do movimento que resultou na Semana da Arte Moderna de 1922.

    Projetada pelo arquiteto francês Victor Dubugras, a estação substituiu outra de madeira, construída em 1875, no entroncamento das estradas de ferro Sorocabana e Ituana. Tanto a estação como a cidade herdaram o nome do engenheiro Francisco da Paula Mayrink, dirigente da Sorocabana e construtor da vila ferroviária em 1890. 

Estação Ferroviária de Mairinque - Divulgação

Estação Ferroviária de Mairinque – Divulgação

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: