Festival de cerâmica abre forno coletivo com 300 peças em Cunha
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Festival de cerâmica abre forno coletivo com 300 peças em Cunha

José Tomazela

02 Novembro 2018 | 09h25

A abertura de um forno coletivo com 300 peças de artistas renomados encerra, neste fim de semana prolongado pelo feriado de Finados, o 12.o Festival de Cerâmica, em Cunha. Reconhecida oficialmente como “capital nacional da cerâmica”, a estância climática do Vale do Paraíba tornou-se referência internacional nesse artesanato e, desde 11 de outubro, início do festival, atraiu mais de dois mil visitantes.
Os turistas foram ver de perto a confecção artesanal das peças de barro, quase sempre moldadas à mão, assistir a aberturas das fornadas e prestigiar mostras e exposições individuais e coletivas. O festival é uma realização do Instituto Cultural da Cerâmica de Cunha (ICCC), com o apoio da Secretaria de Turismo e Cultura da cidade. Este ano, ceramistas de outras cidades participam do evento. A abertura da fornada coletiva acontece nestes sábado (3), às 10 horas, na sede do instituto.
A retirada das peças dos fornos é sempre uma ocasião de festa. Só depois de ‘queimada’, a peça adquire os contornos e expressões imaginados pelo artista. A cidade remonta ao período dos tropeiros que percorriam a Estrada Real, levando o ouro de Minas Gerais até o porto de Paraty e, de lá, para o Rio de Janeiro e Portugal. O passado remoto deixou marcas ainda hoje preservadas, como construções tomadas pelo patrimônio histórico, entre elas a igreja matriz, construída em 1731.
A ligação com a cerâmica teve início na década de 1970, quando os primeiros ceramistas se instalaram para desenvolver seus trabalhos em fornos à lenha, com a técnica de queima noborigama. O forno noborigama é construído em uma rampa, com câmaras conectadas. A queima é progressiva e uma câmara aproveita o calor da outra. O processo, até as peças ficarem prontas, leva 32 horas, com a temperatura chegando a 1.400 graus.
A abertura é feita quando o forno esfria. A cidade tem cerca de vinte ateliês que se dedicam às várias técnicas da cerâmica. Situada no entorno do Parque Estadual da Serra do Mar, a estância turística oferece também muitas atrações, como belas cachoeiras, montanhas e trilhas pela mata.

Festival de cerâmica leva 2 mil visitantes a Cunha – Foto Divulgação

Mais conteúdo sobre:

CunhacerâmicanoborigamaSerra do Mar