Família de falcões peregrinos é atração em Salto
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Família de falcões peregrinos é atração em Salto

José Tomazela

22 Fevereiro 2014 | 14h07

Uma família de falcões peregrinos, ave de rapina de porte médio que vive no hemisfério norte, chama a atenção de moradores e, principalmente, de fotógrafos especialistas em pássaros, em Salto. As aves se deslocam de um lado ao outro do continente para fugir do inverno rigoroso na América do Norte e passar o verão em lugares mais quentes, como o Brasil.

A viagem leva cerca de trinta dias. Pelo terceiro ano consecutivo o casal escolheu a cidade de Salto como destino temporário e, desta vez, veio na companhia de uma ave mais jovem que se acredita seja um filhote. O falcão peregrino é pouco visto no Brasil, por isso os observadores de aves se revezam próximo de uma torre de retransmissão de sinais, ponto escolhido pelas aves para o repouso diário.

É preciso acordar cedo para vê-las, pois, assim que o sol esquenta, elas voam para matas e morros da região. As aves chegaram ao final do ano e devem permanecer na região pelo menos até abril, quando a temperatura no hemisfério norte começa a subir.

Embora ocorra em todos os continentes, à exceção da Antártida, o falcão peregrino não faz ninhos, nem se reproduz na América do Sul, visitando essa parte do continente apenas como ave migratória. A ave é considerada um dos animais mais velozes do mundo, podendo atingir 385 km por hora no mergulho.