Cruzeiro e Piquete sediarão monumento natural da Mantiqueira Paulista
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cruzeiro e Piquete sediarão monumento natural da Mantiqueira Paulista

José Tomazela

29 de dezembro de 2019 | 18h32

Os municípios de Cruzeiro e Piquete, no Vale do Paraíba, vão ceder 14,1 mil hectares de seus territórios para a criação do Monumento Natural Mantiqueira Paulista, preservando importante parcela da Serra da Mantiqueira. O projeto, discutido em audiência pública ambiental realizada em Cruzeiro, deverá ser debatido com as demais comunidades da região no início de 2020.
Os estudos para a criação da área de preservação foram feitos por técnicos da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente (Sima), com o apoio de universidades e colaboradores locais. O monumento será criado sobre área de forte restrição de uso pelo código florestal e lei da Mata Atlântica, justamente para não impor novas restrições às atividades agrícolas desenvolvidas na região.
Da área proposta, 95% correspondem à vegetação nativa, incluindo florestas, campos naturais e candeiais – vegetação precursora, usada em recuperação florestal. Entre os atrativos da Mantiqueira nessa área estão o Pico Itaguaré, em Cruzeiro, e o Pico dos Marins, em Piquete.
O Pico dos Marins tem o cume a 2.420 m acima do nível do mar, sendo o 26.o pico mais alto do país. Formado por um grande maciço rochoso com paredões íngremes, é importante destino do ecoturismo e turismo de aventura, principalmente para quem pratica trekking.
Um pouco mais baixo, com 2.308 metros, o Pico Itaguaré é apelidado de “gigante adormecido” devido ao seu formato. Alguns pontos da subida são utilizados para a prática do voo livre. No pico fica a ‘Toca das Andorinhas’, uma caverna que serve de refúgio para milhares dessas aves.

Trecho paulista da Serra da Mantiqueira será monumento natural. Foto Sima/Divulgação

Tendências: