Consórcio inicia construção de barragem na represa do Rio Pardo em Botucatu
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Consórcio inicia construção de barragem na represa do Rio Pardo em Botucatu

José Tomazela

03 de maio de 2021 | 15h40

O consórcio responsável pela construção da Represa do Rio Pardo, em Botucatu, deu início às obras de fundação no eixo da barragem do reservatório. Os serviços de injeção de concreto acompanham a barragem de terra já levantada na envergadura total do terreno a ser alagado. As águas do rio fluem pelo canal de desvio finalizado no início deste ano.
O reservatório vai acumular 9 bilhões de litros de água para abastecer a população e as indústrias de Botucatu pelas próximas décadas. Temor dos ambientalistas, a previsão é de que a barragem não interfira na vazão da Cachoeira Véu da Noiva, atração turística localizada menos de um quilômetro abaixo do vertedouro.
O consórcio responsável pela construção é formado pelas construtoras DP Barros, Novatec Construções e ETC Empreendimentos. A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) investe R$ 44,3 milhões na obra, prevista para estar concluída no primeiro semestre de 2023.
A obra recebeu a última licença ambiental no final de 2019. “Esse empreendimento obteve aprovação em todas as esferas, inclusive no Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (Iphan). É um projeto que vai garantir o abastecimento de água para a população de Botucatu, regularizar a vazão do rio nos períodos de estiagem, sem prejuízo para as cidades abastecidas pela bacia”, disse o prefeito de Botucatu, Mário Pardini (PSDB).
A barragem, com quase 600 m de extensão, está sendo construída a uma distância de nove quilômetros à montante da Represa do Mandacaru, que atualmente abastece a cidade. A profundidade deve chegar a 20 metros. A área total do reservatório é de 280 hectares, mas 130 hectares são de APP (Área de Preservação Permanente).
A organização ambiental Rio Pardo Vivo alertou para a necessidade de recuperar as matas ciliares nas nascentes do Rio Pardo, sob o risco de não haver água suficiente para manter uma boa vazão na barragem. A prefeitura afirma que o reservatório de água bruta terá vazão média de mil litros por segundo, quase o dobro da vazão natural do rio. O projeto prevê compensação ambiental com o plantio de 50 mil mudas nativas em 130 hectares.
O Rio Pardo possui 264 km de extensão, desde a sua nascente, no município de Pardinho, até a foz na represa de Salto Grande, no Rio Paranapanema. Em seu percurso, o rio banha 15 cidades e já sofre três represamentos. Além da barragem do Mandacaru, há um represamento em Pardinho para captação do abastecimento urbano, e no Distrito do Lobo, em Itatinga, onde as águas alimentam uma pequena hidrelétrica.

Começa a construção de barragem no Rio Pardo. Foto Prefeitura de Botucatu/Divulgação.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.