Anta de 150 kg morre atropelada por carro em rodovia de Presidente Venceslau
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Anta de 150 kg morre atropelada por carro em rodovia de Presidente Venceslau

José Tomazela

29 de abril de 2021 | 11h45

Uma anta fêmea pesando cerca de 150 quilos morreu ao ser atropelada por um carro, na noite desta quarta-feira, 28, na rodovia General Euclides de Oliveira Figueiredo (SP-153), em Presidente Venceslau. O animal, em situação de vulnerabilidade na natureza, atravessava a pista e o condutor do veículo não conseguiu desviar.
É o segundo animal silvestre com risco de extinção morto por atropelamento na região em menos de duas semanas. No último dia 16, uma jaguatirica foi encontrada morta, com as marcas do acidente, no acostamento da rodovia vicinal SPV-035, em Presidente Epitácio.
No caso da anta, o motorista de 24 anos disse que avistou o animal após passar a ponte sobre o Rio do Peixe, mas não conseguiu evitar o choque. O carro ficou bastante danificado, mas o condutor sofreu apenas escoriações leves.
Conforme a Polícia Militar Ambiental, a anta vivia provavelmente no Parque Estadual do Rio do Peixe, que fica nas imediações, e se locomovia em busca de alimentos. Havia indícios de que a fêmea estava prenha. O animal foi enterrado na manhã do dia seguinte, próximo ao local do óbito.
A anta é o maior mamífero silvestre herbívoro do Brasil e mede até dois metros de comprimento, com peso que varia entre 150 a 250 quilos. A espécie é considerada grande dispersora de sementes na natureza. Ágil na água, a anta se locomove com pouca velocidade no campo e se torna presa principalmente das onças. No passado, o animal também era vítima de caçadores.
ONÇAS-PARDAS – Apenas nas rodovias administradas por concessionárias no Estado de São Paulo morrem por atropelamento, em média, 8 mil animais silvestres por ano. Entre as espécies mais raras, vítimas de acidentes rodoviários, estão onças-pardas, tamanduás-bandeiras, cervos, bichos-preguiças e antas.
Conforme a Agência de Transportes do Estado de São Paulo (Artesp), entre 2017 e 2020 houve redução de 5% nesses acidentes, sobretudo em razão da instalação de passagens aéreas e subterrâneas para animais nas rodovias. Nos pontos críticos, foram instaladas também cercas para direcionamento da fauna, além de sinalização e redutores de velocidade.
As rodovias concedidas, no entanto, representam apenas um terço do total de 23 mil km de estradas estaduais pavimentadas. Muitos acidentes com animais acontecem em rodovias municipais, que somam uma malha de 176 mil quilômetros de estradas.

Anta adulta foi atropelada por carro em rodovia. Foto Polícia Ambiental/Divulgação.

Tudo o que sabemos sobre:

antaatropelamentorodoviasfaunaArtesp

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.