Agudos: Projeto transforma quintais em espaços públicos
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Agudos: Projeto transforma quintais em espaços públicos

José Tomazela

13 Maio 2013 | 10h28

A cidade de Agudos, com 34.542 habitantes na região central do Estado, virou laboratório de um projeto pioneiro. Os quintais particulares do centro tradicional serão transformados em áreas de uso público e vão abrigar estacionamentos, pistas de caminhada, cafés e outros pontos de convívio. A oferta de vagas para estacionar, um dos maiores problemas no centro, deve ao menos quintuplicar, estimulando atividades novas. O comércio passa a ter duas fachadas, a tradicional voltada para a rua, e a interna, voltada para a área de convívio no quintal. Para a utilização desses espaços, serão criadas superquadras de quatro quarteirões cada.

O projeto, encampado pela prefeitura, tem à frente a equipe do professor Adalberto Retto Júnior, da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação da Universidade Estadual Paulista (Unesp), campus de Bauru, com a consultoria do urbanista italiano, Bernardo Secchi. Chamado por Nicolas Sarkozy, presidente francês entre 2007 e 2012, para elaborar um dos cenários do projeto Grand Paris, o urbanista francês trouxe traços desse trabalho para Agudos. A cidade será modelo para a aplicação da proposta em outros municípios. O objetivo é a recuperação das áreas centrais de cidades paulistas que enfrentam processos de esvaziamento e deterioração urbana.

A proposta para Agudos se contrapõe à fórmula dos calçadões, símbolo do planejamento urbano de Curitiba, na década de 70, que teriam contribuído para o esvaziamento das regiões centrais. “Cada interior de quadra será transformado em um pequeno shopping a céu aberto, com um projeto individualizado que dará complexidade ao tecido urbano”, detalhou o professor da Unesp. Do ponto de vista urbanístico, avalia Retto Júnior, a cidade passa a oferecer mais espaços livres de qualidade para a população.

Do lado econômico, serão geradas atividades novas e a comunidade passará a ter áreas de conveniência que se assemelham às comodidades do shopping center, mas integradas à memória e à cultura da cidade.     Será abrangido inicialmente o centro histórico com um quilômetro de extensão, entre as duas estações ferroviárias da cidade – a da antiga Companhia Paulista, de 1903, e a da Sorocabana, de 1905. As quadras incluem a praça central, a igreja matriz, escolas, bancos e grande parte do comércio.

A prefeitura vai investir em iluminação, paisagismo e rede de internet gratuita. “Fizemos a revisão no plano diretor para adequar ao projeto e trabalhamos no convencimento dos proprietários”, disse Flaviano Garcia, interlocutor municipal do projeto. À noite os quintais serão fechados. As adaptações serão feitas com recursos do município. A prefeitura oferecerá descontos no Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) para os donos de imóveis participantes. Eles também podem obter renda do estacionamento ou alugando o espaço para atividades comerciais. O projeto será implantado por etapas: a primeira quadra deve ficar pronta este ano.

 

Imagens do projeto:

http://blogs.estadao.com.br/pelo-interior/files/2013/05/Super-quadra-01.jpg

http://blogs.estadao.com.br/pelo-interior/files/2013/05/Super-quadra-02.jpg

Mais conteúdo sobre:

AgudosArquiteturaUrbanismo