As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Xô, azar!

Haisem Abaki

24 de fevereiro de 2013 | 15h59

Publicado pela 1ª vez em 13/02/2009
Não há motivos para superstição na Sexta-Feira 13, mas é bom ficar atento para evitar alguns transtornos:
Não passe sob uma escada – não dá azar, mas algo pode pingar lá de cima se o pintor for azarado.
Não passe perto de um gato preto – também não acontece nada de ruim, a não ser para o pobre bichano, se ele for atropelado.
Não olhe para um espelho quebrado – nada de sete anos de azar, é só para não estragar o penteado.
Não bata três vezes na madeira – isso não afasta azar e ainda pode deixar o dedo dolorido.
Ter um carro com placa de final 13 também não dá azar – a não ser na terça-feira, na hora do rodízio.
Jamais compre 13 laranjas – nada de superstição, leve apenas 12 para ficar mais barato.
Não evite passar em frente à Câmara dos Deputados – pode ir tranqüilo porque são 513 parlamentares, mas nunca se encontra esse número lá.
Não tenha medo de economizar 13 reais por dia – em um mês, você terá a sorte de possuir 390 reais.
Tenha sempre um pouco de sal grosso por perto – não é para espantar mal olhado, é só para o churrasco.
Nunca abra um guarda-chuva dentro de casa – isso não dá azar, mas alguém pode tropeçar.
Bolsa largada no chão também não afasta o dinheiro – é só uma desculpa de quem sempre está desprevenido.
Vela acesa também não significa azar – só tome cuidado para não se queimar.
Em resumo, nada de se assustar com a sexta-feira 13. É pura bobagem. Siga esses 12 conselhos e viva bem. Ah, tenho mais uma dica… mas é bom parar por aqui.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: